Descoberto mais um túnel na Casa de Detenção em SP

Um túnel de 40 metros de comprimento foi descoberto hoje à noite no Pavilhão 9 da Casa de Detenção, no Carandiru, zona norte de São Paulo. Um preso, que não teve a identidade revelada, delatou aos agentes penitenciários a existência do buraco e a intenção de uma fuga em massa. Esse foi o 22º túnel encontrado na Detenção, desde o início do ano.Com a chegada dos funcionários na cela, houve princípio de tumulto, que foi controlado. O xadrez teve de ser desativado e os seis presos foram transferidos para a cela disciplinar. No local, foram encontrados vários equipamentos usados na escavação, além de um ventilador, uma bomba d´água e 50 metros de fio para iluminação.Para o diretor da P2, que abriga os pavilhões 7 e 9, Sérgio Zeppelin Filho, o total de túneis encontrados este ano é inusitado em toda a história do presídio. A notícia de desativação da Casa de Detenção pode estar incentivando as fugas. "Quem está na capital, não quer ser removido para outros presídios do interior", afirmou o diretor.Os presos ficarão isolados por 30 dias, sem direito a visitas e banho de sol. Segundo ele, uma sindicância será aberta para apurar o fato. A pena criminal de cada detento não será agravada pelo crime, mas a conduta carcerária será prejudicada. "Eles poderão ficar fora de qualquer benefício." Segundo Zeppelin Filho, o grupo não pertencia a nenhuma facção criminosa.O buraco, de 1 metro de diâmetro, era escavado a partir do vaso sanitário de um banheiro feminino, usado em dias de visitas, que fica sob a cela 230 E. Os presos retiravam a laje do chão da cela e o vaso, para o trabalho que era feito à noite e de segunda à sexta-feira. Nesse período, o banheiro permanecia fechado. Não se sabe quando os presos começaram a escavar o buraco em direção à muralha, com saída para uma rua atrás da favela da Avenida Zaki Narchi, e nem por quanto tempo mais deveriam cavar para alcançar o objetivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.