Descoberto túnel no Carandiru

Agentes penitenciários do Carandiru-1, que abriga 4.300 presos dos antigos pavilhões 2, 5 e 8 da Casa de Detenção, descobriram mais um túnel no fim da canalização de esgoto do presídio, que passa sob a Avenida Ataliba Leonel. "Temos informações de que haveria uma fuga no fim de semana", disse o diretor do Carandiru-1, Jesus Ross Martins. Até o início da noite, policiais militares não haviam localizado onde o início da passagem.Martins informou que há 25 dias os agentes penitenciários coletaram indícios que que estava sendo aberto um túnel para dar fuga aos presos. Dez dias depois, apreenderam materiais que serviriam para realizar o serviço. "Hoje, ao meio-dia, um dos meus agentes entrou na tubulação de esgoto e descobriu um buraco que passava sob a Avenida Ataliba Leonel e ia até a calçada em frente a um sobrado desocupado no número 459", disse o diretor do presídio.Uma equipe da Sabesp, munida de uma escavadeira e britadores, foi chamada e abriu um buraco no local. "Achamos uma mangueira para escoar a água, escoras e um macaco de carro movido a manivela", disse Martins. Enquanto isso, o comandante da da 1ª Cia. do 5º Batalhão da PM, capitão Samuel Pizarro de Oliveira, auxiliado por 30 policiais militares, vasculhava várias casas desocupadas na Rua Alferes Magalhães, atrás da Ataliba Leonel, e na Rua Dr. Zuquim, vasculhou bueiros e galerias de águas pluviais e não encontrou índicios de onde o túnel estaria sendo aberto."Já reformei por três vezes a minha calçada e esse buraco sempre existiu ai", informou Brasilina Pereira de 78 anos, que no dia 10, depois de morar no local durante 28 anos, deixou o sobrado para ir morar num apartamento em Santa Terezinha. "A minha filha insistiu para que eu saisse daqui, preocupada com constantes fugas e rebeliões", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.