Descuido de PM quase custa a vida de menina

A distração do policial militar Celso Aparecido Ariose, de 42 anos - lotado em Mauá, na Grande São Paulo -, quase custou a vida de sua sobrinha Luciete dos Santos Oliveira, de 13 anos.Ele deixou seu revólver de calibre 38 sobre uma cama, e a filha Viviane Aparecida Ariose, de 18 anos, tentou guardar a arma, que disparou sozinha, atingindo a prima na nuca.O fato aconteceu na residência do policial à Rua Brasil Índio, 199, em São Mateus, na zona leste de São Paulo. Celso havia comprado uma aparelhagem de som e, ao chegar em casa, empolgado com os equipamentos, tirou a arma da cintura e a deixou sobre a cama.Apesar da gravidade do ferimento, a menina, socorrida no Hospital Geral do bairro, deve sobreviver. Ela foi submetida a cirurgia e encontra-se na UTI daquele hospital. No 49º DP - São Mateus foi instaurado inquérito de disparo acidental e lesão corporal culposa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.