Desembargadores citados no caso do ''mensalão do DEM''

A Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pediu, em dezembro, explicações a três desembargadores do Tribunal de Justiça (TJ) do Distrito Federal citados no inquérito sobre o esquema que ficou conhecido como "mensalão do DEM" no governo de José Roberto Arruda. Em conversa gravada pelo ex-secretário Durval Barbosa, Arruda e seu então chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, revelam suposta troca de favores com desembargadores. Maciel cita que José Cruz Macedo pediu que um sobrinho médico fosse transferido. Arruda comenta pressão sobre o TJ e cita um desembargador "Romeu" - supostamente Romeu Gonzaga Neiva. Arruda afirma que iria pedir o presidente do TJ, Nívio Gonçalves, conselhos sobre processos. Depois, revela que já conversara com o corregedor, Getúlio Pinheiro de Souza. Os magistrados negam envolvimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.