Desempregado mantém mulher e filha como reféns

O desempregado Joselito Lima, 30 anos, mantém a mulher, Cícera Lima, e a filha, Kênia Lima, de 1 ano e três meses, como reféns, desde a tarde de terça-feira, em sua casa, na rua José Brandão Bertlant, no bairro da Jatiúca. Joselito, que já esteve internado no Manicômio Judiciário com problemas psiquiátricos, é conhecido por "Chuchu" e está armado com um facão. Ele ameaça matar a mulher e a filha, caso a polícia invada a sua residência. Segundo vizinhos, Joselito está separado há cerca de dois meses, mas não aceita a separação. A mulher o teria deixado porque foi surrada e não aquentou o alcoolismo do marido, que era muito apegado às filhas (Kênia e Adriane). A polícia foi acionada na manhã desta quinta-feira e tenta, sem sucesso, libertar as reféns. Joselito continuava irredutível. O desemprego afirma que se a policiais entrarem ele mata a mulher, a filha e depois cometerá suicídio. No início da tarde, a Companhia Energética de Alagoas (Ceal) cortou a energia da casa de Joselito, cuja rua foi interditada e cercada por curiosos. Na sua porta, uma viatura de emergência do Corpo de Bombeiros e uma ambulância aguardavam sua rendição. O soldado PM Heldino, especialista em negociar situações de risco, disse que já tinha tentado de tudo, mas Joselito continuava irredutível. Diante do impasse, o advogado Alberto Jorge (Betinho), da comissão de Direitos Humanos da OAB/AL, foi chamado para negociar uma rendição. Betinho chegou a prometer um emprego para Joselito, mas este continuava sem querer liberar a mulher e a filha. Desempregado, Joselito vivia de pequenos serviços ou trabalhando como ambulante. Ele é filho de um delegado aposentado. Considerado pelos vizinhos como uma pessoa tranqüila, cujo único problema era a bebida. Um amigo disse que antes da separação, Joselito tinha parado de beber e iniciado tratamento, mas depois da separação voltou a ingerir bebidas alcoólicas e só vivia embriagado. O caso será investigado pelo delegado Gilson Albuquerque, titular do 2º Distrito Policial. Joselito pode ser autuado por vários crimes, entre eles cárcere privado e tentativa de homicídio. Até o início da noite, ele mantinha a mulher e a filha como reféns.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.