Corpo de Bombeiros
Corpo de Bombeiros

Desenhos de crianças comovem bombeiros em Brumadinho

Nos traços em tons marrons, crianças de Brumadinho e região expõem solidariedade

Gilberto Amendola, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2019 | 03h00

SÃO PAULO - Um bombeiro sorridente carrega uma criança no colo; outro corre para atender a um pedido de socorro; enquanto um terceiro comemora o fato de ter encontrado um sobrevivente. Esses são alguns dos desenhos que as crianças de Brumadinho (MG) e região têm enviado aos bombeiros que estão, há mais de três semanas, atuando no resgate das vítimas da tragédia.

Os desenhos estão sendo entregues no Batalhão do Corpo de Bombeiros ou diretamente para os socorristas. “Tem sido um alento para os nossos corações. Um estímulo importante para continuar um trabalho tão duro, tão difícil como o que estamos desempenhando. São 22 dias de trabalho”, disse o tenente e porta-voz dos bombeiros, Pedro Aihara

Além dos desenhos, eles estão recebendo uma série de mensagens carinhosas. “Queridos bombeiros, eu me chamo Ana Vitória e estou gostando muito que vocês e seus cães farejadores estão procurando os corpos das pessoas...”, diz uma. 

Na sexta-feira, 15, alguns agentes envolvidos diretamente no resgate das vítimas gravaram um vídeo declamando um poema feito por uma criança de 10 anos para homenageá-los. “Os bombeiros são pessoas como nós/ mas salvam muitas vidas/ e são realmente verdadeiros heróis...” O poema, escrito por Helena, foi um pedido da professora, de lição de casa, que não demorou para chegar na mão dos bombeiros.

A missionária da Igreja Batista, Dorothi Campos, uma das responsáveis por recolher as cartinhas e os desenhos das crianças, conta que os soldados têm se emocionado bastante com alguns pedidos. “Certas cartas são pedidos diretos para encontrar o pai e outros familiares. Teve uma, muito emocionante que dizia assim: “Bombeiros, obrigado por ajudarem nossa cidade e procurem a prima da Rosinha...” 

O pedido para procurar Rosinha veio acompanhado de um desenho representando um sol sorridente, peixinhos no rio e a própria barragem que rompeu - com o seguinte aviso: “A barragem vai cair!” 

766E3C01-53A8-483E-9B06-CCE0C7108013
Eu digo que esse carinho das crianças é uma força extra
E0EAB005-9061-4B3D-86B9-AEB61693E313
Pedro Aihara, Tenente e porta-voz dos Bombeiros

A professora Adriana Soares, que dá aulas em uma escola do distrito de Aranha, próximo de Brumadinho, conta que, embora a orientação da Secretaria de Educação seja a de não forçar o tema da tragédia com as crianças, o assunto tem sido inevitável. “Na minha turma, de crianças de 6 a 8 anos, pelo menos 50% das crianças perderam algum parente ou amigo. Então, como professora, tenho de ser forte e deixá-los se expressar”, afirma.

Adriana relata que as crianças têm usado os desenhos como uma forma de lidar com a tristeza. “Normalmente, o desenho de uma criança é colorido, cheio de cores fortes. Aqui, o desenho deles vem sempre com muito marrom - que é a ideia da lama. Às vezes tenho de engolir seco para não cair no choro.”

Significado

Para a presidente da Associação Brasileira de Psicopedagogia Quézia Bombonatto, o simples desenho de um coração entregue para um bombeiro significa muito para uma criança. “Ali, naqueles desenhos, elas estão expressando tudo aquilo que ainda não conseguem verbalizar. Estão demonstrando uma gratidão que ainda não conseguem colocar em palavras”, diz. 

Tudo o que sabemos sobre:
Brumadinho [MG]Pedro Aihara

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.