Design carioca ''tipo exportação'' vira atração no mundo árabe

O premiado Guto Índio da Costa mostra projetos para bairros do Rio e um trem suspenso

Márcia Vieira, RIO, O Estadao de S.Paulo

11 de abril de 2009 | 00h00

O Leblon, bairro preferido das celebridades no Rio, e a praia de Copacabana vão viajar até Dubai, no Oriente Médio. O designer Guto Índio da Costa, de 40 anos, três vezes ganhador do IF Design, considerado o Oscar do design mundial, foi convidado para apresentar projetos que fez para trechos dos dois bairros cariocas no Encontro de Infraestrutura Urbana nos Emirados Árabes, no início de maio. Lá estarão 40 empreendedores internacionais, inclusive representantes de governos árabes, interessados em desenvolver projetos inovadores nas suas cidades. No Leblon, junto com o pai, o arquiteto Luis Eduardo Índio da Costa, Guto mudou a cara da avenida principal, a Ataulfo de Paiva, em 1994, no Rio Cidade, um programa da prefeitura. É dele o design de todo o mobiliário urbano (postes, bancos de madeira, pontos de ônibus, cabines telefônicas).Em Copacabana, Guto desenhou os quiosques que abrigam restaurantes e enfeitam o calçadão. Ao longo do ano, 309 quiosques estarão instalados na orla carioca, do Leme ao Pontal. Na bagagem para Dubai, Guto vai levar também um projeto arrojado. Há quatro anos, o designer e sua equipe desenvolvem o TEX (transporte expresso), um trem urbano, ecológico (não emite gás carbônico), que circula suspenso por hastes articuladas a 2,5 m do chão. É um transporte sob medida para cidades com grandes engarrafamentos, como São Paulo e Rio."O trem tem uma canaleta embutida no asfalto, onde ficam os motores e as rodas. A cabine de passageiros se eleva por meio de uma estrutura pantográfica estreita, ligada aos motores. O trem, então, passa acima dos automóveis", explica Guto. Não é uma "viagem" da cabeça do artista. Guto já tem estudos feitos por empresas de engenharia, que garantem a viabilidade técnica do trem. Ele também conseguiu patentes de invenção em 36 países. Agora está montando um consórcio no Brasil, com fabricantes de trem e investidores, para desenvolver o protótipo. O investimento ficará em torno de R$ 30 milhões, ao longo de um ano.Sua animação em levar o TEX para o encontro de Dubai tem outro motivo além dos dólares do petróleo."A vanguarda, em termos de moradia, transporte e infraestrutura urbana, está nas cidades dos Emirados", defende Guto. "Agora eles estão construindo uma cidade totalmente ecológica, com emissão zero de gás carbônico." Por isso, acredita, o TEX pode ser implementado por lá. O trem desenhado por Guto custa 10% do valor que se gasta com implantação de metrô. Não polui e nem precisa de via especial para transitar. A canaleta, por onde ele circula, ocupa exatos 80 cm, a mesma largura de uma motocicleta. Sua velocidade é contínua, em torno dos 60 km/h. "Hoje, em horários de pico, a média de velocidade dos ônibus no Rio e em São Paulo é de 19 km/h", compara. " O TEX é um veículo que pode revolucionar a mobilidade urbana de forma sustentável", acredita.O desenvolvimento do trem é prova do que Guto chama de poder transformador do design. "Eu acredito que o design pode trazer enormes melhorias para a qualidade de vida das pessoas, seja por meio de um fogão ou de uma casa, construída de modo eficiente do ponto de vista energético e ecológico." Por isso não gosta do significado que a palavra ganhou, associada a um produto sofisticado, único e, geralmente, caro. Há 15 anos, Guto tenta fazer design no sentido pleno da palavra, definida pelo dicionário Houaiss como "concepção de um produto (máquina, utensílio etc.), esp. no que se refere à sua forma física e funcionalidade". Foi assim que ele desenvolveu tanto produtos populares, como o ventilador Spirit e o fogão Luna, dois sucessos de venda, quanto a sofisticada banheira Smarthydro, programável a distância, via telefone ou internet. Guto já ganhou três prêmios IF Design. Em 1998 pelo mobiliário do Leblon, em 2002 pelo ventilador Spirit e em 2005 pela banheira. Todos os projetos estão no livro Índio da Costa, da série Arquitetura e Design, da editora Viana & Mosley, lançado no Rio na semana passada. No dia 24, o lançamento será no Salão Internacional do Móvel, em Milão, na Itália, e, em maio, em São Paulo. Lá estão detalhados os principais projetos realizados desde que Guto saiu da Art Center College of Design, na cidade de La Tour de la Peilz, na Suíça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.