Deslizamento causa a morte de cinco pessoas em Recife

Acidente teria sido causado por causa de rompimento de cano d'água; outras 3 pessoas ficaram feridas

Solange Spigliatti e Mônica Bernardes, estadao.com.br e O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2009 | 09h44

Cinco pessoas - sendo quatro da mesma da mesma família - morreram soterradas e outras três ficaram feridas por um deslizamento de terra na manhã desta quarta-feira, 14, no bairro de Ibura, em Recife. As vítimas estavam em duas casas e os corpos foram retirados do local pelo Corpo de Bombeiros. Entre as vítimas está uma criança de 8 anos. Não há registro de outros desaparecidos, segundo as primeiras informações.   Os bombeiros acreditam que o acidente tenha sido causado pelo rompimento de uma tubulação de água. A Defesa Civil de Pernambuco acompanha o caso, mas não ainda não se pronunciou sobre as causas do acidente. A polícia isolou o local porque há riscos de outros desabamentos e explosões, em função do rompimento de uma tubulação de gás que passa próxima ao local.   O presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), responsável pela tubulação, João Bosco, afirmou que técnicos da empresa estão investigando as causas do rompimento dos canos. "Ainda é cedo para apontar as reais causas do acidente. Fomos informados que antes do rompimento da tubulação, um grupo de moradores realizou uma queimada na vegetação no entorno da barreira. Estamos trabalhando para auxiliar no atendimento às famílias e na obtenção de respostas", destacou Bosco.   Revoltados, moradores da área afirmam que a tubulação que estourou estava danificada há vários meses. "Eu e minha família morávamos aqui há quase seis anos e desde que chegamos a gente via a água minando do muro que segurava a barreira. Chamamos a Compesa muitas vezes, mas eles vinham, trocavam uma borracha de vedação, um ou outro pedacinho de cano e iam embora. Há umas duas semanas o vazamento aumento. Eu estava saindo de casa quando tudo aconteceu. Foi rápido demais. Tentei agarrar meu neto pela mão, mas o barro levou ele embora", lamentou o pedreiro Cícero Francisco da Silva, de 46 anos, que perdeu os pais, um enteado e um neto.   O presidente da Associação de Moradores de Lagoa Encantada, Sílvio Lucena, garantiu que a comunidade vai ingressar com uma ação na Justiça contra a Compesa. "A comunidade vivia alertando para o perigo, mas eles não faziam nada. O resultado está aí, uma desgraça".   As vítimas foram identificadas como o casal de idosos Francisco Sebastião da Silva, de 92 anos, Honorina Maria da Conceição, de 76, Moab José da Silva Júnior, de 8 anos, Givanildo Luís da Silva, de 28, e a mulher que tomava conta de Francisco, Genilda, de 22 anos. Os feridos foram Cícero Francisco Silva, de 46 anos, Alice Santos Silva, de 49, e a filha Fabiana Santos Silva, de 26.     Texto atualizado às 14h39 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
deslizamentoRecife

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.