Corpo de Bombeiros de Pernambuco
Corpo de Bombeiros de Pernambuco

Deslizamento de barreira deixa 7 mortos no Recife; bebê de 2 meses está entre as vítimas

Outras 3 pessoas ficaram feridas; segundo análise preliminar, acidente foi provocado por vazamento na rede de água

Felipe Cordeiro e Renata Okumura, O Estado de S. Paulo, e Thatiane Teixeira, especial para o Estado

24 de dezembro de 2019 | 08h47
Atualizado 25 de dezembro de 2019 | 20h37

RECIFE E SÃO PAULO - Sete pessoas morreram - entre elas um bebê de 2 meses e uma criança de 8 anos - após o deslizamento de uma barreira e a destruição de duas casas no bairro de Dois Unidos, zona norte do Recife, na madrugada desta terça-feira, 24. Outras três pessoas ficaram feridas. A principal suspeita é de que o acidente foi causado por um vazamento na rede de água do bairro, segundo laudo preliminar da Defesa Civil municipal.

O primeiro imóvel atingido, por volta das 2 horas, ficou completamente destruído. Lucimar Alves, de 50 anos, já foi resgatada sem vida pelos vizinhos. A neta Daffyne, de 9, também foi achada morta sob os escombros. O marido de Lucimar, Otoniel Silva, de 57, foi encaminhado à unidade de pronto-atendimento. 

Também estavam no local Cristina Silva, de 43 anos, irmã de Lucimar, e seu marido, Luiz Tadeu Costa, de 56 anos. Ele foi liberado após atendimento médico. A mulher, com escoriações, continua internada, mas com quadro de saúde estável. 

“Acordei com um susto. Vi que alguma coisa estava caindo, veio uma parede por cima de mim. Segurei para não cair em cima da minha esposa, mas não consegui”, disse Costa à TV Globo Nordeste. Segundo ele, Otoniel Silva sofreu uma pancada no ombro. Seu quadro é estável, mas ficou em estado de choque ao saber da morte de Lucimar.

Veja quem são as vítimas mortas após o deslizamento de barreira no Recife:

  • Érick Júnior, de 2 meses
  • Daffyne Kauane Alves, de 9 anos
  • Érica Virgínia, de 19 anos
  • Emanuel Henrique de França, de 25 anos
  • Lia de Oliveira, de 45 anos
  • Claudia Bezerra, de 47 anos
  • Lucimar Alves, de 50 anos

Veja quem são as vítimas resgatadas após o deslizamento de barreira no Recife:

  • Cristina Silva, de 43 anos - Hospital da Restauração
  • Luiz Tadeu Silva da Costa, de 56 anos - UPA Nova Descoberta
  • Otoniel Silva, de 57 anos - UPA Nova Descoberta

Na segunda casa atingida pela barreira, estavam Emanuel Henrique de França, de 25 anos; Érica Virgínia, de 19; e o bebê Érick Júnior, de apenas 2 meses. Os três morreram. O casal dormia com o filho no quarto, na parte de trás da residência. O cômodo foi completamente destruído com o deslizamento.

Com o apoio de cães farejadores, os bombeiros fizeram buscas para localizar duas outras pessoas que, segundo os vizinhos, estavam dormindo na sala de uma das casas na hora do desmoronamento. Os corpos de Lia Oliveira, de 45 anos, e Claudia Bezerra, de 47, foram resgatados por volta das 11h50, após cerca de oito horas de buscas.

Vazamento

O Corpo de Bombeiros declarou que a quantidade chuva que caiu durante a madrugada, mesmo sendo forte, não seria suficiente para provocar o acidente. De acordo com a Defesa Civil do município, houve vazamento no cano-mestre da rede de abastecimento do bairro. Recife tem passado por períodos de racionamento, e a distribuição de água aos imóveis é feita em dias específicos. 

Segundo moradores de Dois Unidos, o vazamento do cano-mestre já vinha acontecendo, mas nenhuma providência havia sido tomada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). A barreira já estava apresentando, conforme os relatos, sinais graves de infiltrações. Representantes da estatal foram ao local da tragédia para apurar as causas do acidente. 

Segundo a Compesa, qualquer alteração na rede de abastecimento é imediatamente identificada e vistoriada. Não foi informado quando foi a última vistoria na área. A empresa disse que o sistema da região foi desligado.

O governo do Estado disse que “a Compesa está com 50 técnicos mobilizados” analisando “o rompimento dos canos de abastecimento existentes na encosta”.

Em nota, a prefeitura do Recife informou prestar “apoio à Compesa para que seja garantida assistência a familiares das vítimas e moradores da área”. Disse também ter ajudado no resgate. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.