Deslizamento de terra faz gasoduto explodir

Fornecimento teve de ser interrompido em SC e no RS

Eduardo Nunomura, Sandra Hahn e Nicola Pamplona, O Estadao de S.Paulo

25 de novembro de 2008 | 00h00

Dois deslizamentos de terra provocados pelas chuvas no Sul do País causaram avarias em dois pontos de distribuição de gás em Santa Catarina, neste fim de semana. O primeiro acidente aconteceu no sábado, no km 41,5 da BR-470, em Gaspar, na rede de distribuição da SCGás. O rompimento causou um incêndio - controlado, sem deixar feridos - e o suprimento de gás foi cortado para cinco municípios catarinenses: Blumenau, Timbó, Gaspar, Pomerode e Indaial. Anteontem, houve rompimento no gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), no bairro Belchior, em Blumenau. Com o acidente, foi fechado o fornecimento de quase todo o Estado e, conseqüentemente, suspenso também o envio para o Rio Grande do Sul. Siga online as notícias sobre as vítimas das chuvas no País Ouça entrevista com vítimas e com o governador de SCA explosão do gasoduto Brasil-Bolívia, provocada pelo soterramento da tubulação, fez uma labareda de fogo ser vista a quilômetros de distância. Não houve vítimas, mas no Alto Baú os moradores mais velhos viram o céu vermelho, as casas sendo tragadas pelos deslizamentos de terra, os gritos de desespero das pessoas, e imaginaram que era o fim do mundo.Entre 46 municípios catarinenses atendidos pela rede de distribuição da SCGás, apenas seis mantinham ontem o suprimento, no norte do Estado, segundo o presidente da companhia, Ivan Ranzolin. As equipes técnicas trabalhavam nos reparos da rede em Gaspar, refazendo o trecho afetado do outro lado da rodovia BR-470. Contudo, ainda não era possível alcançar o ponto de avaria no Gasbol, que é operado pela Petrobrás, "por causa das chuvas incessantes", segundo o dirigente. A Petrobrás não comentou o caso. Uma preocupação da companhia, quando os reparos em sua rede forem finalizados, será revisar a extensão dos dutos na BR-470, uma vez que as chuvas colocaram vários pontos sob risco de deslizamento. No total, a SCGás entrega o combustível a 75 postos e a cerca de 130 indústrias.RIO GRANDE DO SULA Companhia de Gás do Rio Grande do Sul (Sulgás) suspendeu o fornecimento de gás natural aos clientes industriais às 17 horas de ontem. O corte não afeta clientes comerciais e residenciais. Pela manhã, a Sulgás já havia adotado plano de contingência, com redução do fornecimento aos grandes consumidores industriais e suspensão da entrega aos postos de gás natural veicular.O trecho entre Gaspar e Porto Alegre recebe cerca de 3 milhões de m³ de gás por dia. O combustível é usado por importantes indústrias, como o pólo petroquímico de Triunfo (RS), a Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) e a indústria cerâmica de Santa Catarina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.