Deslizamentos de terra matam casal e filho e ferem 4 em Niterói

Em 24 horas, bombeiros receberam 106 chamados; Defesa Civil Estadual segue em alerta

Pedro Dantas, O Estadao de S.Paulo

15 de dezembro de 2007 | 00h00

Três pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas em vários deslizamentos de terra em comunidades carentes de Niterói, no Grande Rio, por causa das chuvas que caem há três dias no Estado. O caso mais grave aconteceu ontem, por volta das 9 horas, no Morro do Castelo, quando um muro desabou sobre o barraco onde o casal Renata Caetano da Silva, de 29 anos, e Antônio Fidélis do Nascimento morava. Os dois morreram na hora. O corpo do filho de Renata, Yago Caetano da Conceição, de 10 anos, só foi encontrado no início da noite. Cinco casas foram interditadas na favela e 15 pessoas foram transferidas para o abrigo municipal."Estava lavando roupa e ouvi o estrondo. Corri e vi a casa descendo. Eu e um vizinho vimos a Renata, mas já a retiramos sem vida. O Antônio ficou soterrado com as pernas para o alto, mas não conseguimos retirá-lo", contou o servente Izequiel da Silva, de 37 anos. Vizinho do casal, ele disse que os moradores sempre pediram uma orientação urbanística à prefeitura. A administração municipal informou que a última obra de urbanização na comunidade foi feita há dois anos.De acordo com a Defesa Civil de Niterói, até o fim da tarde de ontem foram registradas 106 chamadas em 24 horas. Cerca de 80% das ocorrências eram deslizamentos de terra, concentrados nos bairros da zona norte. Além do desabamento no Morro do Castelo, mais duas casas foram destruídas. Uma, no bairro do Cubango, estava deserta. Outro deslizamento, na Estrada da Cachoeira, feriu Jeferson Alves Marçal, de 15 anos, e Gabriel Gonzaga, de 20. Soterrados, eles foram resgatados pelos bombeiros. Talita Real da Silva, de 18 anos, e Kelly Neves, de 21, só tiveram escoriações.Onze imóveis foram interditados na cidade e 19 pessoas ficaram desalojadas. "O Sistema de Defesa Civil está em regime de alerta em todo o Estado", afirmou o diretor-geral de Defesa Civil, Djalma Souza Filho. As regiões mais atingidas pelas chuvas são a Baixada Fluminense, a capital e Niterói. Em Araruama, na Baixada Litorânea, 200 pessoas ficaram desalojadas ontem, depois que suas casas foram invadidas pelas águas do Rio Mata. A Defesa Civil Estadual e o Corpo de Bombeiros registraram desde quarta-feira 471 ocorrências - 101 ontem.MINASUm muro de arrimo caiu sobre três trabalhadores que faziam uma obra de contenção no prédio da Câmara de Belo Horizonte, às 14h40 de ontem. Dois ficaram soterrados até a cintura e o outro teve ferimentos leves. Chovia na hora do acidente. Os dois soterrados, Élcio de Jesus Alves, de 20 anos, e Elísio da Silva, que não teve a idade divulgada, foram levados pelos bombeiros para o Hospital João XXIII e estão fora de risco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.