Deslizamentos matam 9 pessoas e ferem 12 na região serrana do Rio

Por causa das chuvas que atingem Itaipava, há o temor de que ocorram novos desabamentos de encostas

Alberto Komatsu e Pedro Dantas, O Estadao de S.Paulo

04 de fevereiro de 2008 | 00h00

Pelo menos nove pessoas morreram e 12 ficaram feridas após deslizamentos de terra em Itaipava, distrito de Petrópolis, na região serrana do Rio, causados pelas fortes chuvas na região, desde sábado. A informação é do coronel Souza Filho, da Defesa Civil estadual, que temia, na tarde de ontem, a ocorrência de mais desabamentos de encostas, por causa da possibilidade de novas chuvas. Os feridos foram encaminhados para o Hospital Santa Teresa.O prefeito de Petrópolis, Rubens Bomtempo, destinou R$ 500 mil para prestar assistência às famílias desabrigadas no desastre. Ele solicitou ao vice-governador do Estado, Luiz Fernando Pezão, mais R$ 500 mil para esse mesmo fim. Até a tarde de ontem, o coronel Souza Filho estimava 20 famílias desalojadas, que foram encaminhadas para a escola Paula Braga, localizada entre Itaipava e Teresópolis. "Possivelmente há um número maior de pessoas feridas, já que muitos devem ter tido ferimentos leves e não comunicaram à Defesa Civil nem aos bombeiros", estimou o coronel Souza Filho. Ele relatou que os bairros mais atingidos permaneciam, na tarde de ontem, sem energia elétrica e telefone.Uma das vítimas fatais, Fátima Maria Nicodemus, de 43 anos, foi soterrada dentro de seu carro após um deslizamento na Estrada do Gentio. Maria Isabel Conceição Silva, de 73 anos, e seu bisneto, Douglas Silva, de 5 anos, também morreram soterrados na mesma rodovia, após sua casa ter sido destruída. Lilian Alice Rodrigues, de 39 anos, foi retirada morta dos escombros de uma casa no bairro de Madame Machado, um dos mais castigados pelos deslizamentos de terra. Érica Correia Santos Silva, de 21 anos e Maria do Carmo, de 50 anos, também morreram. Na localidade conhecida como Granja São Judas, morreram soterradas Josélia Cordeiro Pereira, de 27 anos e as crianças Maria Eduarda Cordeiro e Amanda Dias, ambas de 5 anos. "Foi um evento que surpreendeu a todos nós. Caiu uma tromba d?água em Itaipava durante a madrugada de domingo e ainda chove neste momento (por volta das 15h30 de ontem)", afirmou o prefeito de Petrópolis.Segundo informações da Defesa Civil, em meia hora o volume de chuva foi de 135 milímetros, o equivalente a três semanas de acúmulo de água.Em virtude da situação, Bomtempo decretou estado de emergência no segundo e terceiro distritos de Petrópolis: Cascatinha e Itaipava, respectivamente.A Prefeitura de Petrópolis vai contratar, a partir de amanhã, 200 homens, em caráter emergencial, para trabalhar na recuperação e na limpeza das áreas mais atingidas pelas fortes chuvas. Bomtempo também disse que vai descontingenciar uma verba da Secretaria de Obras para a reconstrução das casas destruídas. No entanto, ele afirmou que vai aguardar um levantamento dos prejuízos para poder determinar qual quantia será necessária.De acordo com o coronel Souza Filho, cerca de 120 pessoas trabalhavam ontem na região, entre homens da Defesa Civil, do corpo de bombeiros, da Cruz Vermelha e voluntários. Botes e retroescavadeiras estavam sendo utilizados para fornecer acesso às áreas mais prejudicadas pelas inundações e pelos desabamentos. A região do Vale das Flores ficou isolada devido à interdição da estrada Petrópolis-Teresópolis, por causa de um afundamento na pista nas imediações do quilômetro 15. A chuva também causou deslizamentos de terra e pedras na Rodovia Presidente Dutra, no quilômetro 278, perto de Barra Mansa, sentido Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.