Desmantelada maior quadrilha de drogas sintéticas do Rio

Operação da Polícia Federal desmantelou nesta quarta-feira a maior quadrilha de traficantes de drogas sintéticas do Rio de Janeiro, especializada na venda de LSD e ecstasy. A operação, resultado de cinco meses de investigações, prendeu doze pessoas no Rio, em Curitiba e em Poços de Caldas (Minas Gerais). Os cariocas são de classe média alta, moradores de prédios luxuosos de bairros nobres como Leblon, Copacabana, São Conrado, Barra da Tijuca e Recreio - a maioria, jovens. O bando agia da seguinte forma: comprava cocaína em Goiás e em São Paulo, viajava com a droga até a Holanda, grande centro fabricante de drogas sintéticas e lá trocava pó por pílulas de ecstasy e pontos (unidades) de LSD. Com um quilo de cocaína, obtinha dez mil pontos de LSD.O entorpecente voltava ao País, passando por Paris ou Lisboa. Entrava pelos dois principais aeroportos internacionais brasileiros, Guarulhos, em São Paulo, e Tom Jobim, no Rio. Na ida e na volta, era escondido em bagagens. A venda era feita em festas raves, condomínios e boates, na zona sul e na Barra da Tijuca, e em sites de relacionamento na internet, como o Orkut. O negócio é extremamente lucrativo: cada ponto de LSD sai a R$ 60; a pílula de ecstasy, a R$ 50. O dinheiro obtido era "lavado" através da compra de imóveis. Detalhes sobre esse processo não divulgados, já que a investigação continua.Os traficantes - que estão com contas bancárias e bens bloqueados a partir desta quarta - têm um patrimônio avaliado em R$ 5 milhões. Entre os presos, surpreendidos em casa por volta das 6horas, estavam financiadores, distribuidores, "mulas" (pessoas que ganham para transportar drogas) e aliciadores de "mulas". Os policiais os detiveram em suas residências, em edifícios de luxo - para o espanto das famílias, que desconheciam suas atividades ilícitas, e de vizinhos. Com média de idade de 26 anos, eles foram encaminhados para o presídio Ary Franco. Os criminosos responderão por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, crimes punidos com 5 a 20 anos de prisão. Uma pessoa ainda estava sendo procurada no Rio até o fim da tarde desta quarta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.