Desmoronamento deixa cinco feridos na 'Nova Serra Pelada', em MT

Justiça Federal determinou fim do garimpo na cidade de Pontes e Lacerda; retirada das pessoas do local deve começar nesta terça

Fátima Lessa, Especial para o Estado

20 Outubro 2015 | 13h49

Atualizada às 18h20

CUIABÁ - Pelo menos cinco pessoas ficaram feridas, na tarde desta segunda-feira, 19, no garimpo da Serra da Borda, próximo ao município de Pontes e Lacerda, a 485 quilômetros de Cuiabá. A informação é do Corpo de  Bombeiros. De acordo com boletim da corporação, os trabalhadores foram soterrados com o desmoronamento de uma galeria aberta para extração do ouro. Os trabalhadores soterrados foram retirados e encaminhados para hospital da cidade e passam bem.

Nesta terça-feira, 20, por determinação da Justiça Federal, devem começar as retiradas dos garimpeiros da região.

O garimpo da Serra da Borda, também chamado de "Serra Pelada de Mato Grosso", tem atraído milhares de aventureiros em busca do "El Dourado" mato-grossense. De acordo com informações oficiais da prefeitura, pelo menos 5,5 mil pessoas chegaram ao município nos últimos 45 dias.

Na tarde de sexta-feira, 16, o juiz federal Francisco Antonio de Moura Junior, substituto na 1ª Vara Federal da Subseção de Cáceres, determinou a pedido do Ministério Público Federal (MPF) o fim da exploração ilegal de ouro na região e a retirada das pessoas (crianças, homens e mulheres) e das máquinas. 

A ação do MPF relata a existência de mais de 5.000 pessoas garimpando na região, que dista cerca de 10 quilômetros da cidade de Pontes e Lacerda. Narra o MPF que "não há autorização em favor de nenhuma empresa no Departamento Nacional de Produção Mineral - DNPM e que há inegável impacto danoso na cidade e região, tanto no que se refere aos danos ambientais quanto no fato de se tratar de região de fronteira, onde incidem organizações criminosas ligadas ao tráfico de entorpecentes e de armas, o que poderá gerar conflitos em pouco tempo".

Forças Armadas. O governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB), manifestou por meio de sua assessoria, que é favorável à atuação das Forças Armadas e da Força Nacional de Segurança Pública, no cumprimento de decisão do juiz Moura Junior.

Em seu despacho o juiz solicita "o apoio policial mediante expedição de ofício à Secretaria de Estado e Segurança Pública do Estado de Mato Grosso, Comando da Polícia Militar" bem como da "Delegacia de Polícia Federal em Cáceres-MT, Delegacia de Polícia Rodoviária Federal em Cáceres-MT".

 

Segundo a assessoria, o governador acredita "que o trabalho em conjunto dos órgãos estaduais e federais evitaria um esforço demasiado e concentrado da Polícia Militar para o atendimento da medida judicial. O que poderia gerar prejuízo na atuação em outras regiões do Estado. Lembra ainda que a operação deve ser prolongada - primeiro com a desocupação, seguindo com a manutenção/reintegração de posse". 

Ainda de acordo com a assessoria do governador, "o ofício que trata da atuação conjunta foi enviado no dia 15 de outubro à presidente da República Dilma Rousseff, ao ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e ao juiz da Segunda Vara da Subseção Judiciária Federal de Cáceres, Francisco Antônio de Moura Junior". Segundo a assessoria, "o documento do governo atende ao pedido do juiz federal, que encaminhou ofício ao Estado solicitando informações sobre a possibilidade de o governo do Estado prestar apoio para cumprimento da decisão".

 

Mais conteúdo sobre:
Mato Grosso Serra Pelada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.