Desvio no PR pode ter sido de R$ 13 mi

CURITIBA

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2010 | 00h00

O Ministério Público Estadual do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), detectou que pelo menos R$ 13 milhões (valor sem atualização monetária) já foram desviados da Assembleia Legislativa do Estado desde 1994.

"Esses são valores de um núcleo apenas, há outros núcleos muito maiores", afirmou o coordenador do Gaeco, procurador Leonir Batisti. O caso é investigado também pela Polícia Federal, em razão de suposto crime de sonegação fiscal.

De acordo com Batisti, o esquema teria sido montado por um grupo liderado pelo ex-diretor-geral da Assembleia, Abib Miguel, que estava no cargo havia mais de 20 anos. Ele está preso juntamente com os ex-diretores administrativo, José Ary Nassiff, e financeiro, Cláudio Marques da Silva. Os três pediram exoneração quando as denúncias vieram a público.

A denúncia apresentada pelo Gaeco e aceita pela Justiça apontou que o grupo incluía funcionários fantasmas na folha de pagamento da Assembleia para desviar o dinheiro. "Na qualidade de diretor-geral da Assembleia Legislativa, Abib Miguel exercia grande poder para a nomeação e exoneração de servidores comissionados e, assim, promover o desvio de dinheiro público", registrou o procurador.

Segundo as investigações, a edição de atos secretos, a que poucos tinha acesso, tornou-se uma prática comum na Assembleia e ajudou nos supostos desvios. "Significou um descontrole e proporcionou dificuldade para a fiscalização", disse Batisti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.