Detento rouba terno de defunto no interior de São Paulo

Na tentativa de causar uma boa impressão aos familiares no Natal, o detento Ademir da Silva, de 25 anos, entrou numa funerária e furtou o terno que seria usado num defunto. Silva deixou o anexo da Penitenciária de Presidente Prudente na manhã de sexta-feira, 22, autorizado a passar o fim de ano com a família, que mora em São José do Rio Preto.Poucas horas depois de deixar o presídio, enquanto caminhava para a Rodoviária, Silva passou em frente da Funerária Prudentina, no centro da cidade, e foi quando teve a idéia de furtar o terno, pois "queria chegar bem apresentável para a patroa".Silva conseguiu pegar o terno, que seria usado num defunto que estava sendo preparado, mas se apavorou na hora da fuga. Testemunhas perceberam que ele tentava esconder um pacote de qualquer jeito, mas não conseguia, então chamaram a polícia.A Polícia Militar abordou Silva em uma avenida próxima à funerária. Ele não conseguiu explicar a procedência do pacote e acabou confessando que queria estar "bem arrumado" quando chegasse em casa para passar as festas com a família. O juiz de plantão determinou que Goulart cumpra o resto da pena em regime fechado na penitenciária de Pirapozinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.