DSC/Polícia Civil/Divulgação
DSC/Polícia Civil/Divulgação

Detentos aguardam vagas em presídios dentro de viaturas em Porto Alegre

Carceragem do Palácio da Polícia foi interditada após motim; segundo presidente da Associação dos Delegados de Polícia, 'situação está insustentável'

Luciano Nagel, Especial para o Estado

31 de agosto de 2016 | 09h51

PORTO ALEGRE - Por causa da interdição da carceragem do Palácio da Polícia, em Porto Alegre, após um motim realizado pelos detentos na última segunda-feira, 29, os novos presos, a partir de agora, terão de esperar dentro de viaturas por vagas em presídios gaúchos. A afirmação é da presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Rio Grande do Sul, Nadine Anflor.

Para amenizar a situação, o Palácio da Polícia transferiu nesta terça-feira, 30, os 14 detentos para a carceragem do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

"A situação está insustentável. No fim semana, tivemos duas tentativas de homicídio dentro das celas. Os presos daqui não querem receber mais ninguém e ameaçam de morte os próximos que irão entrar", disse a delegada.

Na manhã de segunda-feira, os detentos da carceragem do Palácio da Polícia realizaram uma rebelião e danificaram as grades das duas celas que compõem a prisão. O local teve de ser interditado pelo Departamento de Polícia Metropolitana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.