Detentos escondiam serras e celulares no próprio corpo

Dois celulares e duas serras foram encontrados na Penitenciária Estadual de Junqueirópolis região de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, numa situação inusitada. Dois presos foram flagrados com os objetos escondidos dentro do próprio corpo. Segundo a direção da cadeia, a descoberta aconteceu durante uma inspeção nas celas após suspeita. A reação dos presos Cláudio César Portela Alves, de 49 anos, e Juliano Paulo Malaquias, de 19, provocou desconfiança durante o dia de visitas.Eles foram levados ao pronto-socorro de Junqueirópolis e submetidos a exames de raio-X. As imagens revelaram a introdução dos celulares e das serras através do ânus. Além de dois celulares, os agentes encontraram mais duas serras, com 9 centímetros cada e que seriam utilizadas em possíveis fugas, e carregadores, que estavam escondidos dentro de um rádio relógio e no conversor de UHF. O delegado do distrito policial do município revelou que, nos quatro anos da penitenciária na cidade, nunca houve ocorrências desse tipo. O Delegado de Polícia de Junqueirópolis, André Luiz Luengo, instaurou inquérito policial para apurar os fatos. Ele admitiu que a penitenciária deverá punir administrativamente os detentos, já que o Código Penal Brasileiro, de 1940, não prevê tais situações, muito menos com celulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.