Detentos não devem ir para Catanduvas, reafirma Lembo

O governador de São Paulo, Cláudio Lembo, voltou a afirmar na manhã deste sábado, 19, em visita ao Palácio dos Campos Elíseos, na região central de São Paulo, para inspeção de obras da reforma do local, que o governo não tem pretensão de enviar detentos para o Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná. Lembo afirmou que desconhece qualquer "Salve" da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), caso seja enviado algum integrante. "Não há necessidade de transferir presos para lá neste momento". De acordo com Lembo, os criminosos estão "cerceados de suas atividades em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD)". Para o governador, enviar presos para Catanduvas atrapalharia a ação da Justiça. "Eles têm de estar em São Paulo para os interrogatórios, é mais prático", disse. Parcerias para construção de presídios Lembo comentou também sobre a possibilidade de o Estado fazer uma Parceria Público Privada (PPP) para construção de novos presídios. De acordo com o governador, o Estado precisaria construir um presídio por mês para atender todos os mandados judiciais. Agora, Lembo afirmou que aguarda interesse da iniciativa privada afirmando que "é mais barato, porque não tem investimento. O investimento para o Estado é muito pesado".Os procedimentos para se fazer a PPP já estão em análise. "Devem ser colocados em prática no próximo governo, mas vamos deixar tudo equacionado", disse Lembo. Com a parceria, o presídio teria administração pública com a construção feita pela iniciativa privada. O governo locaria as celas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.