Detentos no CE dançam e usam drogas ao som de Wesley Safadão

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram festa intitulada de 'baile de favela' em penitenciária de Caucaia; siglas de facções são exibidas

Carmen Pompeu, Especial para o Estado

15 de junho de 2016 | 15h18

FORTALEZA - Dois vídeos que mostram detentos usando drogas, consumindo álcool e dançando ao som das músicas "Camarote", do cantor Wesley Safadão, e  "O Telefone Tocou", da banda Conde do Forró, começaram a circular nesta quarta-feira, 15, nas redes sociais. Nas imagens, aparecem internos se divertindo na Unidade Prisional Desembargador Adalberto de Oliveira Barros Leal, conhecida como "Carrapicho", em Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza.

A unidade é a mesma onde vários presos foram queimados vivos durante a série de rebeliões que aconteceram no mês passado no Ceará, motivadas pelo motim dos agentes penitenciários. Durante a revolta, parentes conseguiram se comunicar com os detentos por meio de celulares. E as cenas bárbaras de homens sendo queimados, envoltos a colchões, também foram registradas e postadas nas redes sociais por detentos, que portavam celulares dentro do presídio. A prática é vetada e com punição prevista em lei.

"Agora assista aí de camarote/Eu bebendo gela, tomando Ciroc." Na suposta festa, que teria acontecido no último fim de semana, os presos dançam e repetem o refrão, enquanto posam tranquilamente para filmagens e fotografias de outros presidiários.

Ainda durante as imagens, diversos presos intitulam a celebração que acontece dentro do presídio como "baile de favela dentro do Carrapicho show". Alguns detentos exibem um cartaz com as siglas CV e FDN, das facções Comando Vermelho e Família do Norte, respectivamente.

Agentes penitenciários ouvidos pelo Estado afirmaram que, depois das rebeliões, quando as grades das celas foram arrancadas, os detentos passaram a circular livremente nas galerias e áreas de convivência. Muitos desses agentes, que atuam na guarda interna, não conseguem entrar nessas áreas. A Força Nacional, que veio para Fortaleza reforçar a segurança e ajudar na reconstrução das unidades prisionais, tem feito o monitoramento por meio de drones. Mesmo assim, diversas fugas foram registradas.

No fim de semana, a Secretaria de Justiça do Ceará (Sejus) fez uma varredura nas Casas de Privação Provisória de Liberdade 3 e 4, localizadas em Itaitinga, apreendendo 359 aparelhos celulares que estavam com os internos. A Sejus não informou quando foi feita a última vistoria no Carrapicho.

Sobre os vídeos que mostram a suposta balada dos presos, a secretaria garantiu que as imagens foram encaminhadas à Coordenadoria de Inteligência para análise. "Caso seja confirmada sua veracidade, as medidas necessárias serão tomadas", diz a nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.