Detentos no Rio se rebelam por cancelamento de visitas

Tumulto começou por volta das 7 horas desta terça, 8, e foi controlado depois de quase duas horas

Solange Spigliatti, Central de Notícias

08 de fevereiro de 2011 | 16h49

SÃO PAULO - Os detentos da carceragem da Polinter de Araruama, no Rio, se rebelaram na manhã desta terça-feira, 8, após o cancelamento do horário de visitas. Segundo a Polícia Civil, o princípio de tumulto começou por volta das 7 horas de hoje e foi controlado depois de quase duas horas, com a chegada de policiais do Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), que saíram de helicóptero da capital fluminense.

Após a entrada da polícia, as visitas foram retomadas por volta das 16 horas, com o tempo de permanência de 10 minutos para cada visitante, apenas para tranquilizar os familiares dos detentos, segundo a polícia. Conforme a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o tumulto teria ocorrido pelo descontentamento dos presos devido a uma operação feita ontem pelo Ministério Público na unidade da Polinter.

A operação Grades Limpas, deflagrada pelo Ministério Público e pela 1ª Promotoria de Justiça de Araruama, em parceria com a Corregedoria Geral Unificada (CGU) das polícias. Durante a operação Grades Limpas, três policiais acabaram presos e cerca de R$ 20 mil foram apreendidos. A ação foi realizada para desarticular uma quadrilha que agia na carceragem da Polinter, cobrando propinas em troca de benefícios para alguns presos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.