Detida quadrilha que rouba carga de combustível em Ribeirão

Investigadores do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), de Ribeirão Preto, descobriram, na noite de segunda-feira, uma quadrilha que rouba cargas de combustíveis na região. Foram detidos, inicialmente, três homens que usavam um Monza para abordar os motoristas das carretas que saíam carregadas do Terminal de Petróleo para as cidades vizinhas. Depois, na delegacia, um frentista (intermediário) e um empresário, dono de um posto e receptador da carga, foram interrogados e indiciados por formação de quadrilha, roubo e receptação de carga roubada. "A partir dessa ação, acredito que os assaltos a cargas de combustíveis na região vão parar", disse o delegado do Garra, Sérgio Siqueira, que comandou as investigações nas últimas semanas. A quadrilha detida participou de três roubos - em 12 de setembro e 13 de outubro de 2000 e em 25 de janeiro deste ano. Apenas um dos empresários receptadores apresentou-se à polícia e, segundo Siqueira, teria confessado o crime. "Ele disse que passava por dificuldades financeiras", informou o delegado. Como não foram presos em flagrante, todos foram interrogados e responderão a processo em liberdade. O empresário identificado, que tem um posto na Vila Tibério, receptou a carga roubada em 13 de outubro: 10 mil litros de gasolina e 5 mil litros de óleo diesel. Ele comprou a carga de gasolina a R$ 1,00 por litro (revendendo por R$ 1,55) e a de óleo por R$ 0,50 por litro (revendendo a R$ 0,75). "Outros dois postos de Ribeirão Preto estão sendo investigados", afirmou Siqueira. O delegado informou que a maior dificuldade foi a estratégia da quadrilha, que confundia a polícia: as cargas saíam do Terminal de Petróleo, na cidade, mas eram roubadas em outras cidades. Assim, os boletins de ocorrência eram registrados em outros municípios. "Então, resolvemos investigar de fora para dentro." Os quadrilheiros observavam, atentamente, as saídas de veículos do Terminal de Petróleo: a preferência era por cargas de gasolina, as mais rentáveis. Por isso, num roubo, ao descobrirem que a carga era de óleo diesel, os assaltantes abandonaram o caminhão carregado. O Garra também investiga se as cargas estão sendo transferidas para outros veículos para despistar a atenção da polícia nas rodovias. Há uma semana, uma carreta foi encontrada pelo Garra, abandonada, vazia e com o motor ligado, perto de Pradópolis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.