Detido mais um suspeito de matar Priscila Belfort

A polícia prendeu ontem um auxiliar de enfermagem suspeito do seqüestro e morte da universitária Priscila Belfort, irmã do lutador Vitor Belfort. A jovem desapareceu no dia 9 de janeiro de 2004. Leandro Leite Rangel, o Léo, de 29 anos, foi preso em casa, em São Gonçalo, no Grande Rio. Rangel foi denunciado à polícia por Elaine Paiva da Silva, que na semana passada se apresentou ao Ministério Público Estadual e confessou ter participado do seqüestro da estudante. No depoimento, ela disse que Rangel foi um dos assassinos de Priscila.Ontem, o auxiliar de enfermagem negou o envolvimento no crime e disse que não conhece Elaine. No entanto, ela o reconheceu entre outros cinco rapazes, com as mesmas características de Rangel, que foram levados à 75ª Delegacia de Polícia (Rio do Ouro).Outro ponto do depoimento de Elaine foi confirmado pela polícia. Ela disse que os participantes do seqüestro permaneceram um mês no cativeiro com Priscila. Os policiais checaram o livro de ponto e descobriram que o auxiliar de enfermagem ficou afastado do Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Barra, no período entre 9 de janeiro e 7 de fevereiro de 2004. Elaine se apresentou ao Ministério Público porque disse estar sendo ameaçada. Ela contou que Priscila tinha uma dívida com traficantes de R$ 9 mil em drogas, como cocaína e ecstasy. Segundo Elaine, a jovem foi mantida em cativeiro para que seu namorado - na época, Luiz Cláudio Corrêa Fortes - honrasse o débito. Mas a dívida não teria sido paga.Rangel e Elaine estão presos preventivamente por decisão da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo. Outros dois suspeitos do crime, já identificados pela polícia, permanecem foragidos.

Clarissa Thomé, O Estadao de S.Paulo

18 de agosto de 2007 | 22h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.