Devedor mata funcionários de escritório de agiotagem

Um funcionário de um escritório de agiotagem morreu e outro foi ferido gravemente depois que um homem que havia pedido dinheiro emprestado invadiu o escritório, armado de um revólver e uma faca. Alexandre Bezerra Bento, de 27 anos, manteve como reféns os dois funcionários, localizado no Méier, zona norte, porque eles se negaram a devolver um cheque dele, dado como garantia por causa de uma dívida. Ele foi preso.Bento, que não resistiu à prisão, contou aos policiais que o dono do escritório o havia ameaçado de morte e teria dito também que estupraria sua noiva. Ele contou ainda à polícia que os agiotas estavam cobrando um valor acima do devido. O escritório, que fica no prédio da Caixa Econômica Federal da Rua Dias da Cruz, foi cercado pela Polícia Militar. O trânsito na rua chegou a ser interrompido. O funcionário Cosme Luiz Pereira da Silva foi baleado e morreu na hora. Rodrigo Ribeiro de Moraes foi esfaqueado no abdômen e na mão e foi levado para o Hospital Salgado Filho em estado grave.

Agencia Estado,

25 de julho de 2002 | 18h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.