Dez perguntas e muitas dúvidas

1.Quanto o ministro recebeu por suas consultorias?

, O Estado de S.Paulo

04 de junho de 2011 | 00h00

Palocci se recusou a revelar o faturamento da empresa, mas sabe-se que ganhou mais no ano de 2010. Ele afirmou que o faturamento foi registrado nos órgãos de controle e os impostos, recolhidos.

2.Quais foram os clientes?

O ministro alegou que não pode revelar os nomes das empresas para quem trabalhou porque não tem direito de expor terceiros em meio a um ambiente de conflito político. Ele havia dito, ainda, que tinha cláusulas de confidencialidade nos contratos com seus clientes. Citou ter trabalhado para indústrias em geral, bancos e também para o mercado de capitais.

3.Que tipo de serviço foi prestado pela Projeto?

Há suspeitas de que o ministro tenha atuado em processos de fusão e aquisição de empresas, mas, de novo, ele não deu detalhes. Disse ontem que fez análises sobre o câmbio.

4.As consultorias tiveram relações com medidas tomadas pelo governo?

O ministro sustenta que nunca cometeu tráfico de influência.

5.Algum cliente da consultoria tem ou teve contrato com o governo?

Como não são revelados os clientes, não se sabe os vínculos das empresas com o governo ou se são concessionárias de serviço público. Até agora, apenas três empresas admitiram ter contratado os serviços da Projeto (WTorre, Amil e Santander). Ontem Palocci afirmou que "quando a empresa privada tinha negócio com o setor público" ele não dava consultoria.

6.As consultorias tinham "taxa de sucesso", conforme afirmou o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) ao Estado?

O ministro respondeu em parte. Segundo ele, em alguns casos havia uma bonificação conforme os resultados obtidos. Mas ele não deu detalhes. Disse só que havia "previsão de ganhos em relação ao desenvolvimento de projetos".

7.Os rendimentos de consultor foram declarados no Imposto de Renda?

Segundo ele, sim.

8.Por que Palocci ganhou mais dinheiro em 2010?

Ele respondeu que em dezembro do ano passado encerrou as atividades da empresa e, por isso, todos os contratos foram quitados e pagos naquele momento. Sendo assim, disse, a arrecadação foi maior. A dúvida é que, segundo o ministro, em alguns casos só haveria rescisão contratual meses ou anos mais tarde, mas, mesmo assim, ele recebeu antecipado.

9. Palocci colocou o cargo à disposição de Dilma?

Disse que os cargos são da presidente e não haveria a necessidade de fazer esse gesto.

10. O dinheiro recebido em 2010 era proveniente da campanha de Dilma?

Palocci negou. Disse que sua função na eleição tinha caráter político, e não arrecadatório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.