Dez suspeitos da morte de juiz já foram presos

O secretário estadual de Segurança Pública do Espírito Santo, delegado federal Rodney Rocha Miranda, afirmou que, até o início da noite desta segunda-feira, dez pessoas haviam sido presas, das quais quatro seriam os possíveis autores da execução do juiz Alexandre Martins de Castro Filho, de 32 anos.A polícia localizou ainda a motocicleta que teria sido usada pelos assassinos e duas armas, uma delas do mesmo calibre da arma do crime, e a outra, possivelmente, a pistola que a polícia havia entregue ao juiz para sua segurança pessoal.?Não estou sendo conclusivo, porque mais gente pode ser presa e, se houve mandantes, eles podem ser localizados. Mas acredito que até o início da manhã (desta terça) o crime seja solucionado?, disse o secretário.Miranda confirmou que o juiz havia dispensado o PM que o acompanhava. ?Era o segurança que cuidava do meu filho. Eu desloquei ele para acompanhar o juiz, e ele ficou até as 23 horas de domingo na casa dele?, disse o secretário.Segundo ele, o juiz pediu que o segurança chegasse à sua casa por volta de 11 horas desta segunda, mas ele ?infelizmente, tomou a iniciativa de sair?, afirmou Miranda, que era amigo do morto.Já os três suspeitos detidos em Guarapari tiveram prisão preventiva decretada pela juíza Elza Maria Ximenes da Vara Criminal de Guarapari e foram transferidos para Vitória. Ouvidos pelo delegado Alexandre Cappele, os três negaram participação nocrime.Emerson Alexandre Müller, conhecido como "Nóia", de 33 anos, Hebert da Silva Calheiro, o ?Gorila? e Odair Júnior, o "Rato", 24 anos, foram detidos pela Polícia Rodoviária Federal durante uma blitz. Eles trocaram tiros com os policiais. Os suspeitos estavam a bordo do Vectra de cor preta, placa PXO7953 de São Paulo.O secretário de Segurança não acredita, no entanto, que os presos em Guarapari estejam envolvidos na morte do juiz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.