Dia do servidor leva a suspeita de uso político da data

Em 2008, na disputa para prefeito do Rio, Fernando Gabeira (PV) perdeu para Eduardo Paes (PMDB) por 55 mil votos e atribuiu a derrota ao feriado do servidor público. A data caiu em uma quinta-feira, mas o governador Sérgio Cabral (PMDB) decretou ponto facultativo na véspera das eleições e prolongou a folga.

, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2010 | 00h00

Aliado ao bom tempo, o efeito foi sentido nas urnas. A abstenção subiu de 17,91%, no primeiro turno, para 20,25% (925 mil pessoas, ou quase 17 vezes a diferença entre os dois candidatos).

Este ano, o governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), adiantou o feriado em 17 dias para não cair na véspera da eleição. A administração nega que tenha alguma relação com as eleições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.