Dificuldades em vôos Varig

Carta 19.257D. Liselot Kahns, de 89 anos, viajou de São Paulo para a Frankfurt, Alemanha pela Varig, no dia 23/9, e foi tratada com descaso tanto na ida como na volta. O check-in do vôo de ida foi marcado e confirmado para as 18 hs do dia 23, no Aeroporto de Guarulhos, mas ao lá chegar ela soube que o vôo sairia apenas às 21h15. Só que ela só embarcou às 2 hs da madrugada e ainda esperou no avião por 1 hora, porque a aeronave tinha de ser consertada. D. Liselot tinha um compromisso às 14h30 em Frankfurt, aonde só chegou às 20h30. Uma hora antes de chegar à Alemanha, avisaram os passageiros de que as toaletes a bordo não estavam funcionando, e, ?em caso de necessidades?, eles deveriam recorrer às garrafas distribuídas pelas aeromoças. A volta não foi melhor: ela chegou bem cedo, às 18 horas, ao check-in da Varig em Frankfurt, no dia 8/10, para pegar o vôo para São Paulo, e havia pedido uma cadeira de rodas, para esperar a hora de entrar no avião, mas foi informada de que a cadeira só estaria disponível às 20h45, meia hora antes do embarque. Este é o tratamento dado pelas empresas aéreas às pessoas que necessitam de cuidados especiais. M.K.CapitalA Varig responde:"A VRG Linhas Aéreas S.A., empresa que opera a marca Varig, lamenta profundamente os transtornos durante o vôo da mãe do sr. M.K. e assegura que em nenhum momento houve intenção de prejudicar ou constranger os passageiros, pois garantir a segurança e o conforto de todos é a nossa prioridade."Carta 19.258Vôo Ocean AirNo dia 16/8, eu devia embarcar em Congonhas para Araçatuba, no vôo 6160 da Ocean Air, marcado para 22h20, mas às 22h50 tivemos de descer do avião; no saguão, os funcionários nada sabiam explicar. Foi só algum tempo depois que avisaram que como o aeroporto fecha às 23 hs não poderíamos decolar, mas a empresa contrataria ônibus para nos levar a Araçatuba e Bauru. Ficamos largados na calçada do aeroporto sem comida nem água, e o ônibus só chegou à 1h10. Uma funcionária ainda comentou: "Este ônibus está melhor que o da semana passada!" O trajeto de 520 km levou 5 horas, em vez das 8 de sempre, apesar de uma parada de 20 minutos num posto. A velocidade era tanta que temi não chegar viva. Depois liguei para a empresa, e me disseram que não haverá reembolso, ainda que eu tenha comprado passagem para viajar de avião, não de ônibus! Escrevi para o SAC, sem resposta até hoje (9/10).ROSA ELAINE RIBEIROCapitalA Ocean Air responde:"Devido a restrições aeroportuárias de horário em Congonhas, o vôo 6160-SP-Araçatuba de 16/8 foi cancelado. Fato que independeu de nossa vontade. Nossos colaboradores em Congonhas se esforçaram para oferecer apoio aos passageiros, constantemente informados sobre a ocorrência. Também oferecemos facilidades nas ligações telefônicas, mas não pudemos oferecer refeições porque os restaurantes do aeroporto já estavam fechados. E como o vôo da congênere, Pantanal Linhas Aéreas, estava lotado, a acomodação final foi via terrestre."O leitor comenta:A resposta não atende aos meus questionamentos, pois apenas justifica o cancelamento do vôo e o não fornecimento de comida. E o reembolso da passagem aérea? Carta 19.259E um vôo GOLSou cliente Gol e viajo sempre pela empresa. Minha primeira queixa é sobre as poltronas, que não têm um padrão: ou são muito apertadas ou há folga. A outra reclamação é de 31/8: como o aeroporto de Joinville (SC) estava fechado, troquei a passagem e voltei a São Paulo por Curitiba. Fui de carro, gastando combustível e estacionamento, mas no dia 3/9 ainda tive de pagar uma diferença de R$ 66 para pegar o avião de Curitiba, com o que não concordo, pois só troquei a viagem porque o avião não iria pousar em Joinville.PIETRO ALLODICapitalA Gol responde:"O sr. Pietro receberá o reembolso ref. à troca do bilhete para Curitiba, bastando para isso contatar a companhia. Sobre a distância entre as poltronas, o espaço entre elas varia de acordo com o modelo dos aviões, razão pela qual o passageiro pode notar diferenças na distribuição dos assentos. Em todos os casos, os padrões estabelecidos procuram zelar pelo conforto durante as viagens."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.