Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Dilma anuncia construção de seis mil casas na região serrana do Rio

Presidente prometeu abrir linha de financiamento do BNDES para mapear zonas de risco

Agência Brasil e Reuters,

27 Janeiro 2011 | 17h37

RIO - Ao lado do governador do Rio, Sérgio Cabral, a presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quinta-feira, 27, a construção de 6 mil casas na região serrana do Estado, atingida por um temporal no início do mês que deixou cerca de 30 mil pessoas desabrigadas e desalojadas.

 

Veja também:

linkPetrópolis lança campanha para reaquecer turismo

blog Fernando Gabeira: O sol como aliado

lista Saiba como ajudar as vítimas das chuvas

 

Esta é a segunda vez que a presidente viaja ao Rio de Janeiro após a tragédia. Logo depois das fortes chuvas, ela sobrevoou a área e reuniu-se com autoridades locais para discutir medidas emergenciais.

 

Dilma disse que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai criar uma linha de financiamento para mapear as áreas de risco no Brasil. "Estamos fazendo um esforço para juntar todas as informações existentes. Vamos abrir uma linha de financiamento do BNDES para mapear zonas de risco", afirmou. A presidente defendeu também a criação de Defesas Civis municipais.

 

O número de mortos por causa das chuvas na região serrana fluminense já chega a 841, segundo informações da Polícia Civil e da prefeitura de Teresópolis. O município com maior número de mortes é Nova Friburgo, que tem 404 mortos, segundo a Polícia Civil fluminense.

 

Ainda de acordo com a Polícia Civil, há 67 mortos em Petrópolis, 21 em Sumidouro, quatro em São José do Vale do Rio Preto e um em Bom Jardim. Já em Teresópolis, 344 pessoas morreram.

Mais conteúdo sobre:
chuvasRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.