Dilma cita caso Varig para explicar crise aérea

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, defendeu ontem o tratamento dado pelo governo à crise aérea e afirmou que a situação vivida hoje no País é resultado de problemas que se arrastam há 20 anos, entre eles a crise da Varig. Questionada sobre o fato de o governo ter levado dez meses para tomar medidas concretas contra a crise, Dilma disse que os problemas na Varig remontam aos anos 90 e só terminaram em 2005, provocando uma mudança profunda no setor. "Nós herdamos uma situação difícil. Houve uma redução significativa dos vôos da Varig e um aumento dos vôos das outras duas empresas (TAM e Gol) já num modelo de baixo custo", disse Dilma, que estava acompanhando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em Natal. "É um modelo que não implicou aumento do número de aviões, apesar do crescimento da demanda", ressaltou a ministra-chefe. Segundo ela, o setor atravessa um período de "transição". JOBIM A ministra evitou aprofundar-se na questão, sob o argumento de que cabe agora ao novo ministro da Defesa, Nelson Jobim, liderar esse processo. "Acredito que ele tem condições - até porque há uma estabilização desse quadro, no que se refere à saída da Varig - de melhorar a situação."

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2028 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.