Dilma compara Plano de Gestão de Riscos ao desempenho brasileiro no vôlei

Segundo presidente, programa com investimentos de R$ 18 bilhões para prevenção e resposta a desastres também é fruto da 'resistência ao desafio'

Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

08 Agosto 2012 | 15h16

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff comparou nesta quarta-feira, 8, o lançamento do Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais, com investimentos de R$ 18,8 bilhões, à partida de vôlei feminino entre Brasil e Rússia, que ocorreu ontem nos Jogos Olímpicos de Londres. Na ocasião, o Brasil venceu a partida após salvar seis match points no quinto set e classificou-se para as semifinais. "Fiquei muito entusiasmada porque ali (no jogo) implicou numa teimosia, resistência ao desafio, eu acho que esse plano é isso, resistir ao desafio", disse a presidente.

O plano lançado nesta quarta é norteado por quatro eixos: prevenção, mapeamento, monitoramento e alerta e resposta a desastres. Também inclui o mapeamento de áreas de risco e a estruturação um sistema de monitoramento de áreas de risco. Do dinheiro investido, R$ 15,6 bilhões deverão ser destinados a obras de contenção de encostas, drenagem urbana e construção de sistemas urbanos de abastecimento de água em Estados do Nordeste e no semiárido.

"Queremos salvar vidas humanas, que as pessoas não percam suas casas", afirmou a presidente. "Eu vi o desespero do vice-governador (do Rio de Janeiro, Luiz Fernando) Pezão, do governador Sérgio Cabral, diante do que ocorreu na região serrana do Rio, o imenso esforço de toda aquela região no sentido de impedir, ao mesmo tempo eu assisti de um helicóptero o deslizamento de uma montanha em Santa Catarina onde não tinha nenhum ser humano e parecia que havia sido passada uma máquina no morro." Dilma pediu ainda aos governadores que "acelerem por favor os projetos, porque os recursos estão disponíveis".

A cerimônia ocorreu no Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), no Setor Policial Sul, em Brasília (DF). Também foram inauguradas novas instalações do Centro Nacional de Gerenciamento de Risco e Desastres (Cenad).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.