Dilma criará Secretaria de Inclusão Digital

Preocupada em levar adiante sua proposta de campanha de dar prioridade a programas de acesso à banda larga e a novas mídias, a presidente Dilma Rousseff criará a Secretaria de Inclusão Digital, vinculada ao Ministério das Comunicações. De acordo com informações obtidas pelo Estado junto a uma fonte do governo, o mais forte candidato à vaga de secretário é André Barbosa, assessor da Casa Civil.

Karla Mendes, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2011 | 00h00

Ele foi um dos responsáveis pelo processo de internacionalização do padrão nipo-brasileiro de TV digital. Outro destino possível para Barbosa é a chefia da Secretaria Telecomunicações. As mudanças, segundo a mesma fonte, refletem a volta do efetivo controle da área de comunicações para o ministério, que havia perdido espaço para a Casa Civil.

Barbosa também já foi cotado para ser conselheiro da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), no lugar de Antonio Bedran, indicado pelo PMDB na gestão de Hélio Costa. O mais provável, porém, será deixar para o PMDB, mais uma vez, a indicação do conselheiro.

Genildo Albuquerque Neto, ex-chefe de gabinete do Planejamento, será o secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica. Conforme antecipou o Estado na sexta-feira, Cezar Alvarez, ex-assessor de Lula na Presidência, irá para o Ministério das Comunicações, no cargo de secretário executivo. / COLABORARAM LU AIKO OTTA E VERA ROSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.