AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

'É preciso apurar com rigor causas de acidente em Mariana', diz Dilma

Presidente disse ainda que governo reconhecerá estado de emergência 'para permitir o saque do FGTS pelas pessoas atingidas'

Tânia Monteiro, O Estado de S. Paulo

06 de novembro de 2015 | 19h25

Atualizado às 20h41

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff quer uma apuração "com rigor" para buscar as causas do rompimento da barragem de mineração em Bento Rodrigues, no interior de Minas Gerais, que provocou a morte de uma pessoa já confirmada e deixou 13 pessoas desaparecidas. A presidente está acompanhando o assunto e tem se reunido com ministros e conversado com o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel. Uma sala de acompanhamento foi montada no Palácio do Planalto desde o final da tarde de quinta-feira, logo após a tragédia, para monitorar de perto o desenrolar dos acontecimentos e agilizar a tomada de medidas que dependem de mais órgãos atuando.

Por determinação de Dilma, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, está desde a manhã desta sexta-feira, 6, na região de Mariana verificando medidas que podem ser tomadas para amenizar os problemas para a população atingida. A Agência Nacional de Águas (ANA) está fazendo avaliação de impacto ambiental para ver se como e quanto as populações das cidades próximas onde houve o rompimento da barragem serão afetadas. A ANA fará ainda um plano de avaliação e trabalho para tentar encontrar uma forma de diminuir o impacto, já que parte da lama é formada por lixo tóxico.

Entre as medidas adotadas pelo governo, a Casa Civil pediu ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão ligado ao Ministério das Minas e Energia, que faça um levantamento completo das informações sobre a outorga e regularidade no funcionamento da barragem.

Na nota à imprensa, o Planalto informa que "o governo federal reconhecerá estado de emergência da cidade para permitir o saque do FGTS pelas pessoas atingidas". E explica que "equipe da Caixa Econômica também está na cidade para prestar todo o atendimento à população, reforçando a preocupação do governo não só com a solidariedade, mas com a prestação de serviços neste momento de dor e dificuldade da população de Mariana".

Segundo a nota, equipes do Exército e da Defesa Nacional estão atuando em conjunto com a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil de Minas Gerais no recebimento de mantimentos e roupas para os desabrigados. A presidente, que se solidarizou com as vítimas nos tweets divulgados, elogiou o trabalho de voluntários que estão atuando na região.

O Planalto diz ainda que "o governo federal está plenamente empenhado em oferecer todo o suporte necessário à população atingida", e acrescenta que o Exército e a Defesa Nacional estão em contato permanente com o governo de Minas, auxiliando as necessidades locais, a busca de desaparecidos e a assistência aos desabrigados.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.