Dilma diz que Lula foi à TV como ''líder do PT''

Petista nega ter recorrido ao presidente para se proteger da ofensiva tucana no caso da Receita

João Domingos, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2010 | 00h00

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, negou ter recorrido ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para se proteger das críticas da oposição quanto ao envolvimento de petistas na quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB.

"O presidente falou na condição de liderança do PT. Foi uma fala institucional, muito clara, de muito boa qualidade", afirmou Dilma, referindo-se à participação de Lula no horário eleitoral de terça-feira à noite.

Mas na abertura do seu pronunciamento, quando disse que "queria nesse 7 de setembro pedir aos brasileiros uma reflexão em favor do Brasil", aparece na tela a identificação: Lula, presidente do Brasil. Ele afirmou que "nosso adversário" - sem citar o nome do tucano José Serra - "partiu para ataques pessoais e para a baixaria".

Dilma reafirmou que não utilizará seu programa na TV para revidar ataques da oposição. Mas, na entrevista que concedeu no hangar de uma empresa aérea momentos antes de embarcar para Betim (MG), onde participou de comício à noite, declarou que a oposição cria "factoides, faz baixarias e fala falsidades" contra ela.

A petista disse que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou ação dos partidos de oposição, que tentaram vincular sua candidatura a quebras de sigilo na Receita Federal feitas contra tucanos e parentes do candidato José Serra.

"O TSE já afirmou que não há nenhuma evidência, nenhuma prova de envolvimento da minha campanha com os vazamentos", declarou Dilma. Quanto aos comentários de que ela poderia estar sofrendo uma queda nas pesquisas de intenção de votos por causa dos escândalos, a candidata não demonstrou qualquer preocupação. Muito confiante, e com cara de satisfeita, respondeu. "Ah, esperem para ver, esperem. Essas insinuações de queda nas pesquisas são mais um factoide da oposição."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.