Dilma é alvo de 'boicote' em visita ao Ceará de Ciro

Governador Cid Gomes não comparece a homenagem à petista nem a encontro marcado com ex-ministra e a prefeita de Fortaleza

Carmen Pompeu, especial para o Estado. De Fortaleza, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2010 | 00h00

Numa cerimônia sem a presença do governador Cid Gomes (PSB), a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, foi homenageada ontem pela Câmara Municipal de Fortaleza com o título de cidadã fortalezense. A assessoria de Cid informou que ele não compareceu à cerimônia porque estava com "problemas pessoais".

O governador do Ceará, no entanto, é irmão do deputado Ciro Gomes, que continua tentando emplacar sua candidatura presidencial pelo PSB como aliado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

À tarde, Cid também não foi ao encontro marcado desde a semana passada com a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT). Pela manhã, o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), aliado histórico dos irmãos Cid e Ciro no Ceará, indicara que a visita de Dilma não seria bem interpretada. "É uma afronta ao Ciro", definiu o tucano.

Dilma recebeu a homenagem vestida de roxo. Luizianne usava um terno vermelho e uma rosa negra nos cabelos. Em seu discurso de agradecimento, a ex-ministra lembrou o aniversário da cidade, que completa hoje 284 anos. "Tenho um carinho muito especial por Fortaleza e pelo Ceará porque aqui tem um povo forte e generoso", elogiou. E mesmo com a ausência de Cid Gomes, fez questão de ressaltar a parceria entre o governo federal e o do Ceará. "Recebo como uma homenagem ao governo do presidente Lula."

Contramão. De acordo com Tasso, a movimentação da ex-ministra no berço eleitoral de Ciro vai na contramão dos anseios do deputado, que tenta viabilizar sua candidatura à Presidência como aliado de Lula. O tucano mantém uma relação histórica de política e amizade com os irmãos Gomes no Estado. Essa relação tem até ameaçado a manutenção da aliança PT-PSB, que elegeu Cid ao governo do Ceará em 2006.

A prefeita Luizianne Lins, presidente do PT no Ceará, ameaça quebrar a aliança com Cid, presidente do PSB cearense, caso este venha a apoiar a reeleição de Tasso ao Senado em detrimento da candidatura do ex-ministro da Previdência José Pimentel (PT).

A prefeita ameaça até mesmo lançar candidato próprio ao governo cearense a fim de garantir palanque local para Dilma caso Ciro Gomes seja mesmo aclamado candidato a presidente pelo PSB. Luizianne é enfática: com o PSDB de Tasso ela não admite nem conversa. E avisou que não divide em hipótese alguma palanque com ele.

Orientação. Tasso informou que espera orientação do PSDB nacional para fechar ou não apoio à reeleição de Cid Gomes ao governo do Ceará. Com relação à posição adotada por Luizianne, ele parafraseou José Serra, pré-candidato tucano à Presidência. Disse que não faz política com ódio nem com rancor. E atacou afirmando que não quer aliança com o PT. "Com esse PT que está aí, de mensaleiros e aloprados, o PSDB não quer acordo", afirmou.

Dilma desembarcou em Fortaleza para uma estada de dois dias. Hoje pela manhã ela concede entrevistas individuais para emissoras locais de rádio e TV e coletiva às 11 horas. Depois, almoça com empresárias atendendo a convite da presidente do Grupo O Povo de Comunicação, Luciana Dummar, que promete repetir a iniciativa com os demais pré-candidatos à sucessão de Lula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.