Dilma escolhe Lula para chefiar missão diplomática na África

Ex-presidente vai receber diárias do governo para participar de encontro sobre juventude e [br]desenvolvimento

Sandra Manfrini e João Domingos, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2011 | 00h00

BRASÍLIA

A presidente Dilma Rousseff nomeou seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, chefe da missão especial que vai representar o governo brasileiro na 17.ª Sessão Ordinária da Assembleia-Geral da União Africana, que será realizada entre hoje e sexta-feira, em Malabo, na Guiné Equatorial.

Além das passagens aéreas, Lula receberá diárias para gastos com hospedagem, refeições e pagamento de transporte durante o evento na África. O governo não quis informar o valor da diária. Mas, de acordo com informações extraoficiais, ficará em torno de US$ 1 mil, porque leva em conta o valor da hospedagem, das refeições e do pagamento de táxis e de outros veículos para deslocamento.

A nomeação de pessoas de fora dos quadros do Itamaraty para chefiar missões diplomáticas em reuniões internacionais é corriqueira, de acordo com o governo. O decreto com a designação de Lula para a função foi publicado no Diário Oficial da União de ontem.

Também são integrantes dessa missão diplomática o embaixador Paulo Cordeiro de Andrade Pinto, do Itamaraty, a embaixadora Eliana da Costa e Silva Puglia, que serve na Guiné Equatorial, e a embaixadora Isabel Cristina de Azevedo Heyvaert, de Adis Abeba, na Etiópia, onde fica a sede da União Africana. A entidade reúne os países africanos para promover a integração, cooperação, o desenvolvimento e a paz no continente.

Em tradução livre, o tema da assembleia deste ano é Fortalecimento da Juventude para o Desenvolvimento Sustentável. Lula foi convidado pelo presidente do país anfitrião, Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, e dará uma palestra para chefes de Estado e de governo na quinta-feira, segundo nota enviada por sua assessoria de imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.