Dilma está 25 pontos à frente de Serra, diz CNT/Sensus

A petista aparece com 51% das intenções de voto, contra 26% do tucano e 9% da candidata do PV, Marina Silva

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

A candidata do PT, Dilma Rousseff, lidera a corrida presidencial com 25 pontos porcentuais de vantagem sobre o tucano José Serra, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada ontem.

Dilma tem 51% das intenções de voto, contra 26% de Serra. Marina Silva, do PV, aparece com 9%. Em relação à pesquisa anterior do instituto Sensus, divulgada há três semanas, a petista subiu cinco pontos e o tucano oscilou dois para baixo.

Se a eleição fosse realizada hoje, Dilma venceria no primeiro turno, por ter apoio da maioria absoluta do eleitorado. Ela tem 14 pontos porcentuais a mais do que os adversários somados (37%).

Na divisão do eleitorado por regiões, é no Nordeste que Dilma tem a maior vantagem (69% a 17%). No Sul, há um empate técnico (36% para Serra e 35% para a petista). No Sudeste, principal colégio eleitoral do País, a candidata governista lidera por 44% a 27%.

Ainda há diferenças consideráveis entre o eleitorado masculino e o feminino. Entre os homens, Dilma lidera por 54% a 26%. Entre as mulheres, a vantagem é menor: 47% a 27%.

Renda e idade. Entre os eleitores mais pobres, com renda de até um salário mínimo, a petista lidera com 35 pontos porcentuais de vantagem (58% a 23%). Na faixa de renda mais alta, há um empate técnico entre ela e Serra. Da mesma forma, quanto menor a escolaridade dos eleitores, maior a vantagem de Dilma.

A segmentação dos entrevistados por faixa etária revela que é entre os mais jovens que a candidata do PT tem mais força. Ela tem 58% das preferências entre quem tem de 16 a 17 anos, e 50% entre os que têm 50 anos ou mais.

O índice de rejeição a Serra é de 41%, segundo o Sensus. No caso de Dilma, 29% afirmam que não votariam nela de jeito nenhum. Nesse caso, os números praticamente não variaram desde o levantamento de setembro.

Horário eleitoral. Na pesquisa espontânea, aquela em que os eleitores manifestam sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Dilma lidera por 33% a 23%.

Segundo a pesquisa, 62% dos brasileiros já assistiram pelo menos em parte à propaganda eleitoral no rádio e na televisão, que começou a ser exibida no dia 17 de agosto. Para 33% dos entrevistados, Dilma está fazendo a melhor propaganda. Outros 16% preferem os programas de Serra.

Lula. O Sensus também mediu a aprovação ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para 78%, a gestão é ótima ou boa. Apenas 4% a veem como ruim ou péssima.

Já o desempenho pessoal do presidente foi aprovado por 81% dos entrevistados e desaprovado por 12%.

Os índices de aprovação ao governo e a Lula seguem as mesmas tendências do voto em Dilma: são maiores no Nordeste e no Norte, entre os mais pobres, entre os menos escolarizados e entre os homens.

Há oito anos, quando faltavam pouco mais de três meses para o final do segundo mandato do então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), seu governo era considerado ótimo ou bom por 25% da população. Outros 34% achavam a gestão ruim ou péssima, segundo o mesmo Sensus.

O Estado arredondou os dados do instituto, que foram divulgados com uma casa decimal depois da vírgula.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.