Dilma faz exames em SP e detecta pneumonia

Segundo o médico Kalil Filho, presidente apresenta um quadro gripal que foi piorando, por isso decidiu antecipar consulta prevista para sexta-feira

Roberta Scrivano, O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2011 | 00h00

A presidente Dilma Rousseff está com um foco de pneumonia no pulmão esquerdo. A doença foi diagnosticada na quinta-feira, quando ela começou a tomar antibióticos e confirmada ontem a partir de outros exames realizados no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. "Dilma deverá tomar o medicamento por mais dez dias", informou ontem o médico Roberto Kalil Filho.

Durante uma rápida entrevista coletiva no fim da tarde, o médico disse que a presidente apresenta um "estado gripal há dez dias". A doença da presidente foi diagnosticada por um raio X na quinta-feira, ainda em Brasília. Por isso, Kalil Filho resolveu antecipar a consulta com a presidente que estava prevista para a próxima sexta-feira.

Dilma foi submetida a uma série de exames, incluindo uma tomografia, que confirmaram o foco de pneumonia. De acordo com o médico, a presidente está bem. "Ela é uma pessoa saudável", afirmou. Kalil Filho deu um dia de repouso para a presidente. E acrescentou que ela foi para um hotel e que hoje estará de volta a Brasília e já deverá trabalhar.

Também esteve no Sírio-Libanês o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele apareceu na porta do hospital minutos depois de Kalil concluir a coletiva. "Vim visitar uma amiga", disse. A amiga, segundo ele, no entanto, não era a presidente Dilma.

Ritmo forte. Mais cedo, durante as comemorações do 1.º de Maio da Central Única dos Trabalhadores (CUT), o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, havia comentado o estado de saúde da presidente. "A Dilma não está bem, ela está com uma gripe muito forte. Aproveitou esse final de semana também para fazer uma revisão que tinha que fazer mesmo, periódica, da questão de saúde. Não tem nenhum problema, é só uma questão da gripe. Mas ela preferiu repousar. Veio para São Paulo e fez exames de rotina. Está tudo bem", disse Carvalho.

O ministro, que representou a presidente no evento, avalia que Dilma está atuando em um "ritmo impressionante, muito puxado". "Eu tinha ilusão que esse ano ia ser um pouco mais sossegado, mas ela tem padrão de exigência fortíssimo." / COLABOROU FAUSTO MACEDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.