Dilma ficou preocupada com apagão, diz porta-voz do Planalto

Presidente determinou à Aneel reforço na fiscalização preventiva das empresas do setor

Leonêncio Nossa, O Estado de S. Paulo

04 de fevereiro de 2011 | 16h17

BRASÍLIA - O porta-voz do Planalto, Rodrigo Baena, disse na tarde desta sexta-feira, 4, que a presidente Dilma Rousseff determinou ainda na manhã de hoje à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) o reforço na fiscalização preventiva das empresas do setor para evitar apagões como o que ocorreu na região do País na última madrugada.

 

Veja também:

linkApós apagão, Bahia e Alagoas sofrem com falta de água

link'Não temos causa definitiva do apagão', diz Lobão

linkFalha em subestação de PE causou apagão, diz Chesf

 

Em entrevista no Palácio, Baena disse que a presidente determinou ao ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, que cobre das empresas de energia o reforço na manutenção dos serviços. Hoje pela manhã, em entrevista, Lobão afirmou que o governo ainda não tinha conhecimento da "causa definitiva" do desligamento de energia e que houve apenas "uma perda temporária de energia."

 

Ao ser perguntado se Dilma também minimizou o problema, Baena respondeu: "A presidenta de nenhuma forma minimizou o problema do apagão ocorrido nesta madrugada no Nordeste brasileiro, tanto que pediu à Aneel que reforçasse fiscalizações. De fato ela ficou preocupada."

 

Dilma foi informada do apagão logo após o ocorrido, ainda durante a madrugada, e pela manhã começou a conversar sobre o problema com técnicos do governo e da área de energia.

Tudo o que sabemos sobre:
apagãonordesteDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.