Dilma participa de evento católico e fala do trem bala

A petista Dilma Rousseff fez mais um movimento para se aproximar da Igreja Católica ao participar da inauguração da Central de Produção Multimídia da comunidade Canção Nova, em Brasília. Acompanhada de Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente Lula, Dilma fez o sinal da cruz na hora da bênção e conversou com os bispos.

, O Estado de S.Paulo

06 de maio de 2010 | 00h00

Ela ouviu o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, criticar a imprensa. "Nos tempos em que todas as notícias têm seus filtros, é muito bom termos um canal que possa colocar a nossa visão de mundo, os acontecimentos", disse o responsável pelo setor de comunicação da CNBB.

Dilma elogiou Luzia Santiago, cofundadora da Canção Nova. "Como você emagreceu", exclamou. "Estou me achando gorda. Preciso emagrecer." A petista relatou ter feito pressão para aprovar uma parada do trem bala - que vai ligar São Paulo ao Rio - em Aparecida do Norte (SP), onde está o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Admitiu, porém, não ter conseguido a parada em Cachoeira Paulista, cidade que abriga a sede da Canção Nova. Integrante da comunidade, o vereador Gabriel Chalita (PSB) atuou como espécie de mestre de cerimônias. / V.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.