Dilma prega união e pede apoio de todos

Em sua quinta manifestação como presidente eleita, Dilma Rousseff pregou ontem a união e pediu apoio de todos os brasileiros ao seu governo. Durante a cerimônia da premiação Os Brasileiros do Ano, organizado pela Editora Três, em São Paulo, ela defendeu a liberdade de expressão e a democracia e disse que esta será a década do Brasil.

Anne Warth, O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2010 | 00h00

"Eu acredito no Brasil, acho que esse é o nosso momento e essa vai ser, sem dúvida nenhuma, a nossa década. Olharei para todos sem nenhuma distinção em relação à procedência política, visão de mundo, crença religiosa e time de futebol", disse, sob aplausos da plateia, numa tentativa de popularizar seu discurso inspirada no presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que costuma fazer comentários sobre o esporte. "Eu sou Inter, tenho consideração por todos os times", brincou, referindo-se à derrota do clube gaúcho para o Mazembe, do Congo.

Em seu discurso, o senador eleito por Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB) - que ganhou o prêmio Brasileiro do Ano -, defendeu ética e eficiência na política, afirmando que assumirá o cargo em fevereiro para provar que "política e ética não são incompatíveis". "Ao contrário, devem caminhar como irmãs siamesas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.