AFP
AFP

Dilma repudia violência em protestos: 'caminho é o diálogo'

Um dia após confronto que terminou com mais de 200 feridos no PR, presidente disse que manifestações de trabalhadores são legítimas

Rafael Moraes Moura e Carla Araújo, O Estado de S. paulo

30 de abril de 2015 | 17h32

Um dia após uma manifestação de professores no Paraná terminar com mais de 200 feridos por conta de confrontos com a polícia, a presidente Dilma Rousseff repudiou a violência em protestos. "As manifestações dos trabalhadores são legítimas e temos que estabelecer o diálogo sem violência", disse, durante reunião com líderes de centrais sindicais, em Brasília. 

Sem citar especificamente o caso do Paraná, que é administrado pelo tucano Beto Richa, Dilma afirmou que é preciso conviver com a diferença e reforçou que o único caminho para construir consenso é o diálogo. "Para construir consenso e evitar a violência o único caminho existente é o caminho do diálogo", disse. 


O grupo de professores do Paraná protestava contra a votação do projeto que autoriza o governador tucano a usar recursos do fundo de pensão Paraná Previdência como parte das medidas de austeridade e ajuste fiscal. O projeto foi aprovado.

"O Brasil é um País grande demais, diverso demais, múltiplo demais para que haja um único caminho", afirmou "E o melhor caminho é aquele que se constrói junto", disse Dilma. 

A presidente afirmou ainda que seu governo tem por princípio o "respeito às manifestações, respeito às diferenças de opinião". "E, ao mesmo tempo, com repúdio integral à violência", afirmou. 

Tudo o que sabemos sobre:
ParanáDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.