Dilma Rousseff diz que eleição acaba dia primeiro de outubro

A ministra chefe da Casa Civil, , afirmou nesta quinta-feira,7, depois do desfile comemorativo ao 7 de setembro, que no governo ninguém está de "salto alto" por causa da vantagem nas pesquisas eleitorais nem acha que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva já ganhou a eleição. Em seguida, ela deixou escapar que a decisão será em primeiro turno. "A eleição, quanto mais respeitosa for melhor para a democracia, porque eleição acaba dia primeiro de outubro, e melhor também para o País e para a República".Em resposta a uma pergunta se estava mesmo certa de que não haverá segundo turno, ela foi mais cautelosa: "Pode ter e pode não ter. As pesquisas apontam para uma decisão em primeiro turno. Agora, isso não está garantido, não está assegurado. Nem nós fazemos disso um cavalo de batalha."O ministro da Defesa, Waldir Pires, também falou da sua expectativa em relação ao segundo mandato. "Há um sentimento de que continuará este processo", comentou o ministro. Ele disse que o assunto predominou no palanque de autoridades. "Trocamos idéias", minimizou o ministro, acentuando que "há um sentimento de otimismo e o processo a que me refiro, é no sentido de que mantenhamos o rumo, vencendo as dificuldades e construindo uma sociedade decente".O governo não admite mas, a certeza da vitória de Lula é tanta que ele já confirmou presença na abertura dos trabalhos da assembléia geral da ONU, marcada para os dia 18 e 19 de setembro. "É importante a minha participação. Não vou faltar. É tradição o Brasil abrir a sessão e quero estar presente", disse Lula, segundo um assessor palaciano, acentuando que estaria lá, não importando qual fosse a sua situação na corrida eleitoral, na época. A viagem ocorrerá a 10 dias das eleições presidenciais.Matéria alterada às 17h35 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.