Dilma tem nova agenda casada com Planalto

Ela lança projeto para juventude em evento de ONG que recebeu R$ 11 milhões do governo

Marcelo de Moraes / Brasília, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2010 | 00h00

Para alavancar a campanha da petista Dilma Rousseff, o governo federal tem casado alguns de seus principais programas com as propostas apresentadas pela candidata. Além disso, também tem recorrido a organizações sociais, para as quais repassou recursos federais, para aumentar a capilaridade da campanha.

No sábado, Dilma apresentará seu programa para a juventude num evento organizado pela Central Única das Favelas (Cufa), na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro. A entidade já recebeu mais de R$ 11 milhões em recursos do governo federal e a candidata petista já sabe que terá um clima mais do que favorável para apresentar suas propostas.

Um dos temas que serão abordados pela candidata no encontro com os jovens é o combate ao crack. O assunto já foi tratado pela petista em inserções de sua campanha no rádio e televisão. Na semana passada, o governo garantiu novidades para que Dilma possa apresentar sobre o combate ao crack no evento deste sábado. Dentro da medida provisória 498, liberou cerca de R$ 408 milhões em programas de combate à droga.

No mês passado, o governo também turbinou com recursos outras entidades que têm demonstrado apoio público à petista. Através do patrocínio de estatais, repassou R$ 270 mil para o II Festival Nacional da Juventude Rural, organizado em Brasília, na semana passada, pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag).

Poucos dias antes, Dilma tinha sido recebida pelos dirigentes da Contag num ato público. Politicamente, foi um evento importante, já que a entidade reúne cerca de 20 milhões de trabalhadores rurais. De quebra, ainda ganhou a declaração pública do presidente da entidade, Alberto Broch, que defendeu a continuidade do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O governo também deu munição para Dilma se apresentar durante a 62.ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em Natal, no último dia 28. Na véspera, havia sido divulgado o chamado "Pacote da Inovação Tecnológica", com medidas de apoio à Ciência e Tecnologia. O problema é que as medidas já eram todas conhecidas e tinham sido anunciadas anteriormente. A ideia, na verdade, era fornecer um lote de propostas para fortalecer o discurso da petista diante da comunidade científica em Natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.