Dilma toma banho de mar em Patizeiro

Depois de passar dois dias se esquivando da imprensa - a última aparição pública foi em entrevista coletiva na quarta-feira -, a presidente eleita, Dilma Rousseff, apareceu ontem de manhã na Praia do Patizeiro, a 21 quilômetros do centro de Itacaré (BA).

Tiago Décimo ENVIADO ESPECIAL / ITACARÉ, O Estado de S.Paulo

06 Novembro 2010 | 00h00

Dilma chegou por volta das 9 horas, acompanhada por dois assessores e por um policial federal em dois quadriciclos.

De maiô, tomou banho de mar durante 15 minutos e caminhou pela areia. Depois, sentou-se sob um toldo, com uma caixa de isopor ao lado. Pouco depois das 10 horas, ela e os acompanhantes deixaram o local.

Como Dilma apareceu na distante Patizeiro, acessível somente a pé ou em veículos especiais, como o quadriciclo motorizado, foi reforçada a tese de que a presidente eleita esteja hospedada na mansão do empresário paulista João Paiva, localizada no alto de um morro próximo à praia, no meio de um terreno de 200 hectares de Mata Atlântica.

Segundo um dos assessores que a acompanhavam no passeio de ontem, Dilma deve deixar o local neste sábado. O destino da presidente eleita, mais uma vez, não foi revelado.

O Resort Txai, na vizinha Praia do Itacarezinho, a 17 quilômetros do centro de Itacaré, apontado anteriormente como possível ponto de descanso de Dilma, teria um evento para empresários até a noite de ontem. Segundo a administração, o hotel terá vagas a partir das 12 horas de hoje.

Reunião do G-20. O governo da Coreia do Sul encaminhou anteontem convite ao Brasil para que a presidente eleita participe oficialmente da reunião do G-20, em Seul, nos dias 11 e 12 deaste mês.

Ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma deve participar não só do jantar oferecido pelo presidente sul coreano aos integrantes do G-20 na noite da próxima quinta-feira, como do almoço e das reuniões da Cúpula na sexta-feira.

O Diário Oficial da União publicou que Dilma Rousseff e dois assessores se integram à comitiva de Lula em Seul. A presidente eleita viajará em voo comercial do Brasil para a capital da Coreia, com as despesas pagas pelo governo brasileiro. Depois, ela deverá retornar ao Brasil junto com Lula, a bordo do Aerolula.

Essa não será a primeira vez que um presidente da República brasileiro convida o presidente eleito para lhe acompanhar em uma viagem oficial.

Em 9 dezembro de 1994, o ex-presidente Itamar Franco levou o então presidente eleito Fernando Henrique para acompanhá-lo à primeira Cúpula das Américas, em Miami. Antes da escla em Seul, Lula passará por Maputo, em Moçambique, onde ficará por dois dias. / COLABOROU TÂNIA MONTEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.