Dilma vai à TV de 'mãe' dos pobres

Petista dirá que representa o governo Lula e falará ao eleitorado que melhorou de vida

Vera Rosa, João Domingos BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

17 de agosto de 2010 | 00h00

Dilma. Dirá que representa o governo      

 

 

 

 

Dilma Rousseff vai estrear hoje no horário eleitoral gratuito dizendo que representa o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além de exibir Dilma como a única candidata capaz de dar continuidade aos programas de sua gestão, o próprio Lula vai mostrar a ex-chefe da Casa Civil como seu braço direito, uma "mãe" que cuida dos pobres.

A estratégia de investir no público feminino é considerada importante pelo marqueteiro João Santana, que não quer uma campanha "ideologizada" entre esquerda e direita. A equipe do PT tem receio de que o candidato do PSDB, José Serra, explore "de forma enviesada" o passado de Dilma como guerrilheira e líder de grupos que pregavam a luta armada na ditadura.

Ao saber ontem que Serra investirá no figurino popular e aparecerá na TV com um jingle que cita Lula, a candidata do PT abriu um sorriso. O refrão diz que "Quando o Lula da Silva sair/é o Zé que eu quero lá/ o Zé Serra eu sei que anda/é o Zé que eu quero lá" e foi inspirado no jingle "Lula lá", produzido para a primeira campanha presidencial de Lula em 1989.

"Você acha que é isso é plausível?", perguntou Dilma ao Estado. "Tenho minhas dúvidas." A candidata evitou comentar a possibilidade de vitória no primeiro turno, como já indicam as últimas pesquisas, entre as quais a do Ibope/Estado, divulgada ontem à noite. "Eu não falo uma coisa dessas nem amarrada", observou a candidata, numa referência ao bordão que marcou seu último ano na Casa Civil, quando lhe perguntavam sobre sua candidatura.

Dilma atribuiu o crescimento nas pesquisas não só à popularidade de Lula, mas à do governo. "E a popularidade do governo é algo que eu represento", insistiu a candidata do PT. "Eu fui ministra-chefe da Casa Civil e coordenei os principais programas do governo, como PAC, o Minha Casa Minha Vida, o Luz para Todos. Fizemos com que 31 milhões de pessoas subissem na vida. Isso é algo que a população reconhece." Esse é o tom que será adotado na propaganda eletrônica. Santana gravou várias cenas com Lula, algumas delas no Alvorada. O presidente acenou para a câmera, como se estivesse se despedindo do poder.

Com forte tom emocional, o horário gratuito de Dilma na TV será mesclado por reportagens sobre a melhoria de vida das pessoas nos últimos oito anos. Para atrair o público feminino, a propaganda também lembrará tudo o que a candidata propõe para a família e para os jovens. O programa de combate ao crack está nessa lista. A campanha petista destacará, ainda, que Dilma está prestes a ser avó.

"O programa está bom demais, muito agradável", disse o presidente do PT, José Eduardo Dutra. Ele viu ontem a última versão, em sessão especial comandada por Santana para Dilma e os coordenadores da campanha.

Marina. A terceira colocada nas pesquisas, Marina Silva (PV), deve entrar em campo tratando do tema que lhe é mais caro: a bandeira da preservação ambiental. Ela falará sobre os riscos do crescimento desordenado. / COLABOROU ROLDÃO ARRUDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.