Dilma vê pesquisa como ''retrato do momento''

A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, foi contida ao comentar a diminuição para 5 pontos porcentuais na desvantagem em relação ao principal rival, governador José Serra (PSDB), na pesquisa CNI/Ibope. "A pesquisa é retrato do momento", afirmou. "Estamos em março, a eleição é em outubro, e ninguém sobe de salto alto."

Brás Henrique, Enviado Especial, Monte Alegre de Minas, O Estadao de S.Paulo

18 de março de 2010 | 00h00

A ministra, que inaugurou obras e assinou convênios, não deixou claro se vai ou não participar de inaugurações ao lado do presidente Lula após deixar o cargo. A Advocacia-Geral da União indicou que ela só não poderá participar de eventos a partir da oficialização da candidatura.

"Nós achamos que a relação, a partir da minha saída, é mais o presidente indo nas minhas atividades, nas atividades de campanha como militante que ele é", argumentou Dilma.

OUTROS CASOS

1º de junho de 2000

O então governador Mário Covas (PSDB) é agredido com laranjas, paus e pedras ao tentar atravessar o acampamento de professores grevistas, montado na Praça da República junto à Secretaria de Estado da Educação. Os professores permaneciam no local dia e noite. A tropa de choque foi chamada

Junho/2008

Após professores terem bloqueado a Avenida Paulista durante três sextas-feiras seguidas, a Apeoesp enfrentou um inquérito civil para apurar excessos em suas manifestações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.