Dilma volta a defender o programa Mais Médicos

'Acreditamos que esse processo de entrada dos médicos se acelere e beneficie aquela parte da população que não tem acesso a médicos', disse a presidente

Rafael Mendes Moura, Enviado especial - O Estado de S. Paulo

12 Outubro 2013 | 13h43

A presidente Dilma Rousseff voltou a defender neste sábado a atuação de médicos estrangeiros no País e estimou a aceleração na chegada desses profissionais. "Acreditamos que esse processo de entrada dos médicos se acelere e beneficie aquela parte da população que não tem acesso a médicos", afirmou neste sábado, 12, durante cerimônia para anúncio de investimentos em mobilidade e maquinário na região metropolitana de Porto Algere, no Rio Grande do Sul.

Dilma argumentou que em países como Inglaterra e Estados Unidos, os médicos estrangeiros representam 35% e 25%, respectivamente, do total de profissionais da área, enquanto no Brasil são apenas 1,78%. "Esse é um número importante de percebemos, pois estou falando de países desenvolvidos", comparou.

Ela agradeceu ao congresso pela aprovação da Medida Provisória sobre o programa Mais Médicos, lançado pelo governo federal em resposta às manifestações ocorridas no País em junho. Dilma também apontou como uma "grande conquista" a sanção da Lei dos Royalties, que destinará 75% dos royalties arrecadados com a exploração do petróleo para investimentos na educação. "Vamos tentar dar um pouco de vitória para o copo meio cheio. Caso contrário, não enche nunca", citou. (Colaborou Circe Bonatelli)

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseff Mais Médicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.