Dinheiro encontrado por crianças pode ser do BC

As polícias Civil e Federal investigam a origem dos R$ 418 mil em montes de R$ 50 encontrados em uma casa em Natal, no último sábado, 29. Uma das suspeitas é que o montante seja remanescente do roubo de R$ 164 milhões do Banco Central em Fortaleza, ocorrido em 8 de agosto de 2005. A suspeita da polícia é levantada pela aparência das cédulas, que estariam mofadas e com aspecto envelhecido. O dinheiro foi descoberto por garotos na tarde do último sábado, durante um jogo de futebol na Rua Praia Grande, Conjunto Santa Catarina, bairro pobre da zona norte de Natal. Um chute mais forte jogou a bola na casa de número 1978 e três adolescentes correram para buscar a pelota. Foram surpreendidos com R$ 82 mil dentro de uma sacola em um dos quartos da residência. Apesar de a casa não ter nenhum morador, vizinhos contam que à noite era comum ver carros luxuosos com placas do Ceará por lá. Com medo, poucos querem falar sobre os proprietários do imóvel. Nem um soldado da PM, irmão de um dos três menores que descobriu o dinheiro, nem os pais dos adolescentes falam sobre o assunto. ResgateA história correu a cidade. Os "donos" do dinheiro teriam tomado conhecimento da descoberta e foram na noite do dia 29 tentar minimizar o prejuízo. Enquanto procuravam o restante dos pacotes, um telefonema anônimo avisou aos agentes policiais que havia uma dupla recolhendo alguma coisa na casa. Os dois haviam cavado um buraco no quarto onde os meninos acharam a primeira quantia. Assim que a polícia chegou, fugiram pelos fundos da casa e deixaram uma caixa de isopor com R$ 336 mil.Graciliano Lordão, delegado de Roubos e Furtos, prevê que até sexta-feira será possível saber se o montante encontrado pelos adolescentes tem a ver com o roubo de R$ 164 milhões do Banco Central em Fortaleza. Para o delegado geral-adjunto Ben-Hur Medeiros, a suspeita de que o dinheiro encontrado na casa abandonada ser do montante levado do BC em 2005 é uma das hipóteses. "Já sabemos quem é o proprietário da casa e a quem a residência foi alugada", disse.Os três menores que acharam o dinheiro e seus familiares serão novamente ouvidos pela polícia. O objetivo é checar se a história contada inicialmente aos policiais que chegaram ao local no sábado é verdadeira. "Eles estavam numa grande euforia, contaram para as pessoas e muita gente correu para a casa", resume Graciliano Lordão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.