Dinheiro liberado não dá para recuperar estradas, diz ministério

O Ministéro dos Transportes informou hoje que a equipe econômica concordou em conceder um crédito orçamentário adicional de R$ 873 milhões para o ministério que sobrou após o contingenciamento feito pelo Ministério do Planejamento. Desse crédito o Planejamento só vai liberar já R$ 300 milhões. O resto ficará condicionado ao comportamento futuro das receitas federais.O ministério disse que o valor será insuficiente para cumprir a programação de obras que havia sido acertada com o presidente Lula. O ministério informou que não pediu ao presidente mais dinheiro. "Eu passei ao presidente (as informações) e não pedi mais dinheiro porque o presidente é o brasileiro mais interessado nas estradas", disse o ministro Anderson Adauto, segundo assessores dele. O ministério afirmou que em julho ou agosto o ministro deverá voltar a conversar com a área econômica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.